Conforto e praticidade: Por que os Clubes de Assinatura são uma boa aposta?

No meio da pandemia, consumidores têm preferido receber kits personalizados em casa e aumentam faturamento do comércio online; curadoria especializada pode ser o futuro da fidelização do cliente

  • Por Flavia Matos
  • 14/10/2020 14h53
ReproduçãoClubes de Assinatura estão crescendo no país

Com a vida cada vez mais corrida tem ficado difícil conciliar estudos, trabalho, família e vida social. Muitas pessoas, inclusive, não tem nem tempo para fazer compras ou investir em atividades que gostam. Mas há a oportunidade de receber em casa, todo mês, uma caixa com os produtos que precisa, mas não tem tempo de comprar, como café, livros e produtos de beleza, por exemplo. Essa é a ideia dos Clubes de Assinaturas, plataformas digitais onde o consumidor paga um valor mensal e recebe periodicamente produtos personalizados para as suas necessidades.

O projeto tem conquistado cada vez mais adeptos. De acordo com a Betalabs, empresa especializada em tecnologia para gestão de comércio eletrônico e especialista em clubes de assinatura, as empresas do ramo saltaram de 300 para 4 mil em apenas cinco anos, tendo movimentado em 2019 cerca de R$ 1 bilhão no Brasil. As ofertas de produtos são variadas: há clubes de assinatura de cerveja, vinho, café, roupas, livros, alimentos orgânicos, produtos eróticos, flores, produtos de limpeza, cultura geek, pets e entre outros temas.

Durante a pandemia de Covid-19 essa procura aumentou ainda mais, revela a empresa. Cerca de 800 novos clubes surgiram no mercado, tendo 600 novos assinantes nos meses de quarentena. O segmento que mais cresceu, e um dos mais conhecidos, é o da literatura. Clubes de livros tiveram um aumento de 27% durante a pandemia, conquistando clientes como a Bianca Pereira, de 21 anos, que assinou o clube TAG em maio. “Sempre gostei muito de ler, mas nunca pensei em assinar um clube porque tinha muito livro parado em casa, mas fiquei quatro meses na praia [durante a quarentena] e pensei que era o momento certo pra assinar. Já seguia a TAG há um tempo e vi que as edições eram muito lindas. Os livros foram chegando e é surreal o capricho deles. Curti a ideia porque a gente sai da nossa zona de conforto, é surpresa, então você não escolhe autores, autoras e nem temáticas”, disse em entrevista à Jovem Pan.

Com planos que vão de R$ 45,90 (anual, com livros inéditos) a R$ 62,90 (mensal, com curadoria especializada), a TAG é um dos maiores clubes do livro do país, com mais de 50 mil leitores, e agrada quem opta por ele. “Acho um preço super justo. Vem um livro de capa dura, com design diferente, sempre vem com um mimo e um livrinho que tem entrevistas e onde explica a curadoria do mês. Acho um material super completo e que é até abaixo do mercado, hoje se você comprar um livro de capa dura não paga menos de R$ 45 reais. Fiquei tão apaixonada que dei de aniversário pro meu pai uma assinatura de três meses. Ele sempre leu muito e parou um pouco, então deu o presente para dar uma animada e incentivar ele”, diz Bianca.

Bebidas e cuidados pessoais também estão em alta

Exemplares da UAU Box

Além da literatura, outros seguimentos que fazem sucesso entre os consumidores são bebidas (que teve crescimento de 18% na pandemia) e cuidados pessoais (12%). Durante a quarentena, Jéssica e Wesley Gonçalves decidiram assinar o Eniwine, um clube de vinhos. “A gente sempre consumiu bastante vinho, mas com a pandemia e a dificuldade de sair de casa toda hora pra comprar, achamos que a assinatura seria uma boa. Além disso, sempre tivemos dificuldade de harmonizar o vinho com as comidas e esse clube tem uma equipe de sommelier pra ajudar a escolher o vinho certo”, disse. A assinatura da Eniwine é diferente das convencionais. O cliente escolhe entre créditos de R$ 100 a R$ 3.000 e ele mesmo seleciona o tipo de vinho que quer, de acordo com a faixa de preço. “Alguns vinhos são mais barato do que no mercado”, avalia Jéssica.

No isolamento os cuidados com a beleza também foram reforçados e clubes de assinatura de cosméticos tem feito sucesso. A influenciadora digital Marcella Kovacs recebe todos os meses os produtos da UAU Box e faz uma avaliação no seu canal no Youtube, com mais de 30 mil inscritos. Segundo ela, a maior vantagem dos clubes de assinaturas é o conforto. “Senti que a minha necessidade de comprar coisas diminuiu muito pois eu sei que todo mês a caixa vai chegar com algo novo para que eu teste”, explicou. Em um ramo onde os produtos costumam ser muito caros, optar por uma assinatura sai mais barato. “Geralmente o valor dos produtos da caixa ultrapassam R$150 reais e a assinatura mais cara da Uau Box é a mensal de R$ 89,90. Também conheci várias marcas que não conhecia e hoje sei que assim que meus produtos acabarem eu irei me tornar cliente deles”, completou Marcella. As caixas da UAU são personalizadas e consideram o tipo de cabelo e pele do cliente, mas os itens são surpresa em toda edição. Uma boa curadoria de produtos é certamente um atrativo para clientes que buscam algo novo e de boa qualidade. Alguns clientes, no entanto, dizem que já  ter recebido produtos repetidos, próximos da validade ou com cheiros estranhos. As opções disponíveis no mercado atualmente costumam ser vantajosas e trazem mais conforto e praticidade, principalmente nesse período de pandemia em que muitas pessoas estão em casa e com restrições de saída – apostar em assinaturas mensais pode ser o futuro da fidelização entre cliente e marca.