Congresso faz um minuto de silêncio por morte de Ágatha Félix

Usando o Twitter, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, disse que Ágatha é “mais uma vítima fatal da falta de segurança que vivemos em nosso País”

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2019 18h07
EBCCongresso Nacional

A sessão do Congresso Nacional que analisa os vetos do presidente Jair Bolsonaro que acontece nesta terça-feira (24) fez um minuto de silêncio pela morte da menina Ágatha Félix, de 8 anos, vítima de um tiro na última sexta-feira (20), no Complexo do Alemão. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, informou por meio de sua conta no Twitter que espera “que os culpados sejam punidos, que a justiça seja feita.”

Para Alcolumbre, Ágatha é “mais uma vítima fatal da falta de segurança que vivemos em nosso País.”

Ágatha foi atingida nas costas por uma bala perdida após um confronto entre policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Fazendinha, localizada no Complexo do Alemão, e criminosos da região.

A menina, que estava com o avô dentro de uma kombi, foi levada às pressas para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu ao ferimento. De acordo com relatos de moradores pelas redes sociais, o tiro teria sido disparado por policiais da UPP, que atiraram contra ocupantes de uma motocicleta em fuga.

A morte de Ágatha reacende o debate sobre o excludente de ilicitude do pacote anticrime do ministro Sergio Moro. Algo destacado também pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Ao comentar a morte da criança no Twitter, Maia pediu “uma avaliação muito cuidadosa e criteriosa sobre o excludente de ilicitude que está em discussão no Parlamento.”

Segundo o governo do Rio, todos os policiais envolvidos na ação de patrulhamento na noite da morte de Ágatha prestaram depoimento na Delegacia de Homicídios da capital e suas armas passarão por exame de balística.