Conselho de Ética da Câmara do Rio deve pedir cassação de Jairinho na próxima segunda-feira

Segundo presidente do órgão, reunião será realizada no dia 26 e vereadores devem deliberar sobre representação disciplinar contra suspeito de matar o menino Henry

  • Por Jovem Pan
  • 22/04/2021 15h01 - Atualizado em 22/04/2021 16h03
VITOR BRUGGER/AM PRESS&IMAGES/ESTADÃO CONTEÚDODoutor Jairinho está preso desde o dia 8 de abril

O presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, Alexandre Isquierdo (Democratas), fez pronunciamento nesta quinta-feira, 22, afirmando que uma nova reunião com membros da comissão será realizada na segunda-feira, 26, para deliberar sobre uma possível representação disciplinar contra o vereador Dr. Jairinho, preso por atrapalhar investigações e suspeito de assassinar o próprio enteado, Henry Borel, no último dia 8 de março. A reunião pode gerar um pedido de cassação do mandato do político, que foi expulso do partido Solidariedade após sua prisão e perdeu o cargo na presidência da Comissão de Justiça e Redação da Câmara, responsável por analisar as representações contra parlamentares da Casa.

“A tendência é de que haja uma representação do Conselho de Ética de forma unânime contra o vereador Jairinho. O que eu posso dizer de sentimento da Casa é de que haverá uma grande maioria a favor da cassação do vereador, tendo em vista o que está sendo divulgado na mídia e o que a gente tem visto nos autos do inquérito”, afirmou Isquierdo. Jairinho está preso desde o dia 8 de abril, assim como a namorada, Monique Medeiros. Ambos são suspeitos de atrapalhar nas investigações da morte do menino Henry, de quatro anos, e tiveram detenção temporária de 30 dias decretada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. O delegado responsável pelo caso, Henrique Damasceno, titular da 16ª DP da Barra da Tijuca, afirmou que não há dúvidas sobre a autoria de Jairinho no crime, mas aguarda a conclusão de laudos para finalizar o inquérito.