Covid-19: Sociedade Brasileira de Cardiologia não recomenda uso de cloroquina

  • Por Jovem Pan
  • 22/05/2020 17h02
CADU ROLIM/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOCloroquina, Hidroxicloroquina

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) informou, por meio de nota, nesta sexta-feira (22) que não recomenda o uso de cloroquina ou hidroxicloroquina para o tratamento de pacientes com Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

O Ministério da Saúde, ao adotar o novo protocolo de tratamento que prevê o uso da cloroquina até nos casos leves da Covid-19, afirmou que havia firmado parceria com a SBC.

No entanto, de acordo com a nota, a entidade “não recomenda o uso da Cloroquina e Hidroxicloroquina associada, ou não, a Azitromicina, enquanto não houver evidências científicas definitivas acerca do seu emprego”.

Outro trecho da nota diz ainda que é necessário acompanhamento do coração do paciente que consentir em usar o medicamento devido às contraindicações apresentadas.

“Para os pacientes que optarem pela realização do tratamento, orienta que, desde que resguardada as condições sanitárias necessárias para minimizar o risco de contágio de profissionais de saúde e outros pacientes, que sejam realizados eletrocardiogramas a fim de avaliar a evolução do intervalo QT, de forma a subsidiar o médico quanto a pertinência de se persistir no tratamento. Para tanto, a telemedicina pode ser uma alternativa viável para suportar essa iniciativa”, diz a nota.

Ao citar a entidade durante coletiva de imprensa, o Ministério da Saúde afirmou que a parceria se dará no âmbito da “leitura dos eletrocardiogramas”, por meio da telemedicina, que serão realizados em pacientes que aceitem o tratamento nos locais onde não seja encontrado um profissional capacitado para atividade.

Nesta sexta, um estudo com 96 mil pacientes – o mais amplo publicado até o momento – não encontrou benefícios no uso da cloroquina ou da hidroxicloroquina em pacientes com Covid-19.

Ainda nesta semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também afirmou que esses medicamentos ainda não se mostraram eficazes para o combate da Covid-19.