Cristovam Buarque questiona TRF4 e diz não comemorar decisão de prisão de Lula

  • Por Jovem Pan
  • 06/04/2018 11h23
Marcos Oliveira/Agência Senado“Não consigo comemorar em nenhuma hipótese essa decisão da prisão. Mas não consegui entender ainda por qual motivo não se esperou os embargos”, disse

O senador Cristovam Buarque (PPS) questionou, em entrevista exclusiva à Jovem Pan, a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, de ter enviado ofício à primeira instância solicitando a prisão do ex-presidente Lula, e disse que não comemora.

Para ele, a iminente prisão de Lula “significa uma tristeza porque não deixa de ser um fracasso nosso, da democracia, do partido e do presidente Lula. Mas ao mesmo tempo, significa a ideia de que as pessoas não estão acima da lei por causa do cargo”.

“Não consigo comemorar em nenhuma hipótese essa decisão da prisão. Mas entendo que temos lei, juízes e temos que nos submeter a isso. Mas não consegui entender ainda por qual motivo não se esperou os embargos”, disse.

Os embargos aos quais o senador se refere são os “embargos dos embargos”, último recurso na segunda instância a qual a defesa de Lula possui direito. O prazo para a interposição destes embargos ia até o dia 10 de abril, terça-feira, mas, por serem considerados protelatórios, a Oitava Turma do TRF4 entendeu que não era necessário aguardar por eles, caso assim decidissem os advogados de Lula.

“Tinha escutado que até terça-feira a defesa teria direito de apresentar embargos e que aí o grupo se reuniria e diria não e mandaria para o juiz Moro. Não entendi por que mandaram com quatro dias de antecedência. Mas o Moro está certo: recebeu, despacha”, indagou o senador.

Cristovam Buarque evitou se posicionar sobre o pedido de prisão e ficou apenas neste questionamento.

Sobre o que será da eleição diante da prisão de Lula, o senador do PPS disse não saber se “Lula preso aumenta ou diminui prestígio dele”.

Confira a entrevista completa com senador Cristovam Buarque: