Custos do carvão ativado não poderão ser repassados pela Cedae ao consumidor

  • Por Jovem Pan
  • 22/01/2020 09h19
Reprodução/CedaeCedae irá pulverizar o carvão ativado na estação de tratamento do Guandu

A Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio de Janeiro (Agenersa) determinou que a Cedae deve custear todo o tratamento de água do Rio Guandu com o carvão ativado. A concessionária não poderá, portanto, repassar esse custo para o consumidor final.

A Cedae irá pulverizar o carvão ativado na estação de tratamento do Guandu, que abastece a região do Grande Rio. Desde o início de janeiro, a água que chega às torneiras dos moradores do Rio de Janeiro e da Baixada Fluminense tem apresentado cheiro e gosto terroso, devido a presença da geosmina, uma substância orgânica formada por algas.

Degustador

A Agenersa também determinou que a Cedae passe a comunicar imediatamente qualquer alteração na água para a população.

A Companhia será também obrigada a ter um degustador, que avaliará a qualidade da água. A Agenersa também solicitou que a Polícia Federal remeta o relatório do inquérito que investiga a alteração da água à agencia, assim que concluído.

* Com informações da Agência Brasil.