Número de mortos por causa das chuvas em MG chega a 33

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2020 19h00
Ramon Ricardo/Futura Press/Estadão ConteúdoOs temporais em Minas Gerais provocaram alagamentos e deslizamentos de terra

Subiu para 33 o número de mortos em Minas Gerais por causa das chuvas que atingem o estado nos últimos dias. A Coordenadoria Estadual da Defesa Civil de Minas Gerais havia informado na tarde deste sábado (25) que 30 pessoas haviam morrido, mas, já na parte da noite, o Corpo de Bombeiros encontrou mais três vítimas não identificadas em um desabamento em Engenheiro Nogueira, no Anel Viário de Belo Horizonte.

Ainda não há informações se estes três corpos encontrados estavam na lista de 17 desaparecidos que foi divulgada pela Defesa Civil na parte da tarde. O órgão informara, também, que havia 2.620 pessoas desalojadas e 911 desabrigadas.

De acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Edgar Estevo, 14 das 33 mortes confirmadas até o momento aconteceram em cidades da Grande Belo Horizonte: cinco na própria capital; uma em Contagem; quatro em Betim; e quatro em Ibirité. Ainda segundo o coronel, os óbitos ocorreram por causa de deslizamentos de terra e soterramentos.

Entre quinta e sexta-feira, foi registrado na capital mineira o recorde do volume de chuvas em 24 horas: 171,8 milímetros. O número anterior era de 164,2 milímetros em 14 de fevereiro de 1978.

As buscas por desaparecidos seguem ocorrendo nos municípios de Contagem, Betim e Ibirité, além da capital. No interior, em cidades como Matipó e Manhuaçu, ambas na Zona da Mata, há relatos nas redes sociais de inundação e pessoas ilhadas.

No total, 3.586 pessoas foram atingidas diretamente pelas chuvas.

“Chuvas foram como um furacão”

Na tarde deste sábado, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), conversou com a imprensa e disse que os temporais foram como “um furacão, tufão, terremoto” para a cidade.

*Com informações do Estadão Conteúdo