Defesa de Witzel: Decisão do STJ por afastamento foi recebida com ‘grande surpresa’

Wilson Witzel foi notificado sobre seu afastamento no Palácio dos Laranjeiras

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2020 08h23
Fernando Frazão/Agência BrasilWitzel é suspeito de envolvimento em esquema de fraude nas compras da Saúde no RJ

A defesa do governador Wilson Witzel (PSC) disse receber com “grande surpresa” a decisão de afastamento por 180 dias do cargo de chefe do Executivo do Estado do Rio de Janeiro. “A defesa do governador Wilson Witzel recebe com grande surpresa a decisão, tomada de forma monocrática e com tamanha gravidade. Os advogados aguardam o acesso ao conteúdo da decisão para tomar as medidas cabíveis”, afirma nota divulgada nesta sexta-feira.  Witzel foi afastado do cargo por decisão do ministro do Superior Tribunal de Justiça Benedito Gonçalves, relator da Operação Placebo. A medida faz parte da Operação “Tris in Idem” que faz buscas em seis Estados e no Distrito Federal. A corte determinou ainda a prisão do pastor Everaldo, presidente do PSC e do ex-secretário de Desenvolvimento Econômico Lucas Tristão, todos citados na investigação. Witzel foi notificado sobre seu afastamento no Palácio dos Laranjeiras.

A Polícia Federal (PF) cumpre nesta sexta-feira (28) mandados de busca contra a primeira-dama Helena Witzel e o deputado estadual André Ceciliano (PT), presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Ao todo, foram expedidos 17 mandados de prisão – seis preventivas e 11 temporárias e 72 de busca e apreensão. A Operação Placebo foi inicialmente aberta em maio, quando a Polícia Federal cumpriu 12 mandados de busca e apreensão, parte deles em endereços do governo fluminense, para investigar suposto esquema de corrupção envolvendo a instalação de hospitais de campanha para combate ao novo coronavírus no Estado.

*Com Estadão Conteúdo