Ministro da Defesa defende ‘independência entre Poderes’ e critica agressão a jornalistas

  • Por Jovem Pan
  • 04/05/2020 15h03 - Atualizado em 04/05/2020 15h13
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoO ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, defendeu, por meio de nota emitida nesta segunda-feira (4), a “independência e a harmonia entre os Poderes” e afirmou que agressões a profissionais da imprensa são “inaceitáveis”.

A pasta se pronunciou após o presidente Jair Bolsonaro participar de manifestação ao lado dos apoiadores que pediam intervenção militar e entoavam palavras de ordem contrárias ao Legislativo e ao Supremo Tribunal Federal (STF) neste domingo, em Brasília.

Durante o ato, que começou com uma carreata nas praça dos Três Poderes e depois se tornou uma aglomeração diante do Palácio do Planalto, houve episódios de agressão a jornalistas do jornal O Estado de S. Paulo.

A Defesa afirma que a “liberdade de expressão é requisito fundamental de um País democrático; no entanto, qualquer agressão a profissionais de imprensa é inaceitável”.

A nota, assinada pelo ministro, continua e pede “esforço de todos” em prol do combate ao coronavírus. “O Brasil precisa avançar. Enfrentamos uma Pandemia de consequências sanitárias e sociais ainda imprevisíveis, que requer esforço e entendimento de todos.”

O ministro também destaca que as “Forças Armadas cumprem a sua missão Constitucional”. “As Forças Armadas estarão sempre ao lado da lei, da ordem, da democracia e da liberdade. Este é o nosso compromisso”, finaliza.