Deputado e comandante da PM trocam agressões durante vacinação de policiais em Pernambuco; confira

O parlamentar foi impendido de entrar no auditório onde estava sendo realizada a campanha; segundo ele, sua intenção era de fiscalizar a imunização da categoria

  • Por Jovem Pan
  • 08/04/2021 17h26 - Atualizado em 09/04/2021 14h37
ReproduçãoMomento em que o deputado Joel da Harpa e o Coronel Tavares trocam agressões

O deputado estadual de Pernambuco, Joel da Harpa (PP), trocou agressões com o comandante Coronel Tavares na manhã desta quinta-feira, 8, durante a vacinação contra a Covid-19 de policiais, na unidade do 6° Batalhão de Polícia Militar (PM), em Jaboatão dos Guararapes. Um vídeo enviado à reportagem pela assessoria do parlamentar mostra o momento em que Joel tenta entrar no auditório do local, mas é barrado por policiais. Segundo Joel, sua intenção era de fiscalizar a vacinação dos policiais militares. “O senhor não vai passar para o auditório não”, afirma Tavares. O deputado confronta o agente. “Vai se colocar na minha frente?”, questiona. O policial, então, responde explicando que a entrada do auditório está sendo controlada.

Em um outro vídeo que circula nas redes sociais, é possível ver Joel já dentro do quartel. Mais uma vez, o deputado é impedido de entrar na área de imunização. “Vai me tirar?”, pergunta Joel da Harpa. “Vou”, responde o Coronel Tavares, que empurra o deputado. Em seguida, os dois começam a se agredir e o vídeo é cortado. Na segunda filmagem, Joel não está mais usando máscara de proteção. “O oficial no pátio do quartel, em frente aos militares presentes, me disse que eu não poderia entrar no quartel, nem tirar foto de minha visita, eu falei para ele que sou deputado e estava fiscalizando o Poder Executivo. O mesmo coronel continuou a impedir minha entrada e não respeitou a minha prerrogativa de deputado e de fiscalizador do Poder Executivo”, relata Joel. A assessoria do parlamentar diz que a vacinação dos policiais militares é uma pauta que Joel da Harpa defendia há meses. O deputado prestou queixa do Coronel Tavares na corregedoria e afirmou que irá atrás da Assembleia Legislativa para abrir um processo administrativo contra o oficial.

Em nota enviada à Jovem Pan, a Polícia Militar de Pernambuco afirmou que o deputado foi impedido de acessar o local em respeito às normas sanitárias porque não utilizava máscara nem tinha feito comunicação prévia sobre sua entrada no Batalhão. “O parlamentar quis entrar na sala onde estava ocorrendo a vacinação dos militares contra o Covid-19, que estava com acesso permitido apenas para o pessoal que iria tomar a vacina e os técnicos responsáveis pela aplicação do referido imunizante, de modo a evitar aglomerações ou tumultos, além da exigência de equipamento de proteção individual. Tudo em conformidade com o que prevê o Decreto governamental acerca das medidas restritivas, em nosso Estado, em vigor. Mas, após os ânimos se exaltarem, tudo foi esclarecido entre as partes”, diz trecho do documento.

Confira os vídeos: