‘É um salário extra para o resto da vida’, diz Guedes sobre saque anual do FGTS

Calendário da nova modalidade de retirada das contas para 2020 ainda será divulgado pela Caixa

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2019 17h13
Lucio Tavora/Estadão Conteúdo

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o saque anual, nova modalidade permitida de retirada de dinheiro de contas do FGTS, será “um salário extra para o resto da vida”. O anúncio das novas regras foi feito na tarde desta quarta (24) no Palácio do Planalto.

“É um salário extra para o resto da vida, o trabalhador vai poder retirar esse dinheiro sem pedir demissão”, afirmou o ministro. “Agora ele pode sacar sempre, isso irá diminuir a rotatividade no mercado de trabalho, aumentando a renda de quem se mantiver empregado”.

Na nova modalidade, trabalhadores que tiverem saldo menor na conta poderão retirar percentuais maiores. Quem tiver até R$ 500,00 na conta, poderá sacar 50% do valor. Já quem tiver mais de R$ 20.000,01, só poderá retirar 5%.

O calendário do saque-aniversário de 2020 ainda será divulgado pela Caixa. A partir de 2021, o cotista poderá realizar o saque entre o primeiro dia útil do mês de seu aniversário e último dia útil dos dois meses subsequentes.

Quem quiser migrar para o novo regime deve avisar à Caixa Econômica Federal a partir de outubro deste ano. Após a migração, o cotista só poderá voltar ao regime antigo depois de dois anos.

Guedes também afirmou que as mudanças no regime de saques do FGTS levou em conta a preservação das empresas de construção civil. “Não tocamos no crédito destinado a essas empresas, eu mandei deixar ele lá crescer”, disse. “Estamos só tocando na superfície do problema”. O fundo de crédito para a construção civil é utilizado para o financiamento de imóveis a juros mais baixos.

Com as mudanças no FGTS, o Ministério da Economia espera um crescimento de 0,35% no PIB nos próximos 12 meses e a criação de 3 milhões de empregos formais nos próximos 10 anos, com aumento de 2,5% no PIB per capita.