Eduardo Bolsonaro nega ofensa: ‘Não desejamos problemas com a China’

  • Por Jovem Pan
  • 19/03/2020 16h16 - Atualizado em 19/03/2020 16h49
Gabriela Biló/Estadão ConteúdoFilho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo é deputado federal pelo PSL-SP

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) se pronunciou pela primeira vez a respeito da postagem que fez na última quarta-feira e que motivou uma dura resposta por parte de Yang Wanming, embaixador da China no Brasil. O filho de Jair Bolsonaro, que, em publicação no Twitter, culpara o país asiático pelo avanço do coronavírus no mundo, disse que “jamais ofendeu o povo chinês” e que o Brasil não deseja ter problemas com o seu maior parceiro comercial.

“Esclareço que compartilhei postagem que critica a atuação do governo chinês na prevenção da pandemia, principalmente no compartilhamento de informações que teriam sido úteis na prevenção em escala mundial. Esclareço ainda que meu comportamento não tem o mínimo traço de xenofobia ou algo similar”, afirmou Eduardo Bolsonaro, em nota publicada na tarde desta quinta-feira.

“A mutação genética de um vírus pode nascer em qualquer país, mas é obrigação das autoridades deste informar à sociedade e tomar as melhores medidas para conter seu avanço (e não agir mantendo sigilo da real condição). As vidas das pessoas devem vir em primeiro lugar, não os interesses do Estado. Não desejamos problemas com a China e certamente o país asiático também não busca conflitos com o Brasil. Não creio que um tweet isolado de um parlamentar levantando questionamentos sobre a conduta de um governo estrangeiro tenha condão para tanto”, acrescentou.

Eduardo disse ainda não ter não identificado “qualquer desconstrução” de seus argumentos por parte do embaixador da China no Brasil e afirmou que Yang Wanming “apenas demonstrou irritação” com o seu post e “direcionou erroneamente suas energias no compartilhamento de posts ofensivos” à honra de sua família. “Este sim um fato grave e desproporcional”, definiu o deputado.

O post de Eduardo Bolsonaro

Em postagem no Twitter na noite da última quarta-feira, Eduardo Bolsonaro acusou a China de preferir esconder a Covid-19 a se expor ao desgaste, e sugeriu que uma ação contrária poderia ter salvado muitas vidas. Tal afirmação repercutiu depois que o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, publicou um tuíte repudiando as palavras do deputado e cobrando um pedido de desculpas ao povo chinês.

Logo na sequência, o perfil oficial da embaixada chinesa disse que Eduardo, ao voltar dos Estados Unidos, contraiu um “vírus mental” que está “infectando a amizade” entre os povos.