Empresários ligados ao MBL são presos em operação contra lavagem de dinheiro

  • Por Jovem Pan
  • 10/07/2020 10h28 - Atualizado em 10/07/2020 11h44
Agência BrasilDe acordo com as informações do Ministério Público, ambos são investigados por lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio ambos e possuem "estreitas ligações com os movimentos"

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) cumpriu, nesta sexta-feira (10), mandados de prisões temporárias contra dois empresários ligados ao MBL (Movimento Brasil Livre)  e MRL (Movimento Renovação Liberal). A ação, realizada pelo MP-SP, Receita Federal e pela Polícia Civil do estado, envolve ainda mandados de busca e apreensão em seis endereços correspondentes a empresas envolvidas na investigação sobre lavagem de dinheiro.

Os empresários Alessander Monaco Ferreira e Carlos Augusto de Moraes Afonso, foram presos na denominada Operação “Juno Moneta”, nome que faz referência ao antigo templo romano onde as moedas romanas eram cunhadas.

De acordo com as informações do Ministério Público, ambos empresários são investigados por lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio ambos e possuem “estreitas ligações com os movimentos”. Ainda de acordo com o órgão, a família Ferreira dos Santos, criadora do MBL, deve cerca de R$ 400 milhões em impostos federais. Há evidências de recebimento de doações de “forma suspeita”.

Em nota, o MBL afirma que os empresários nunca foram membros do movimento. “Alessander Monaco Ferreira e Carlos Augusto de Moraes Afonso não são integrantes e sequer fazem parte dos quadros do MBL. Ambos nunca foram membros do movimento. Uma notícia veiculada de maneira errônea por um portal criou tal confusão”, diz o comunicado.

Na operação, foram apreendidas mídias digitais, celulares, computadores, HDs e pen- drives; documentos impressos, dinheiro e foram encontradas e não apreendidas drogas (maconha) interpretadas para uso pessoal, segundo informações do Ministério Público.