Interior de SP regride na flexibilização da quarentena, mas capital fica na fase amarela

Governo estadual também ofereceu respiradores, leitos e atendimento aos brasileiros do Amazonas

  • Por Jovem Pan
  • 15/01/2021 13h01 - Atualizado em 15/01/2021 14h06
MINETO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOA reclassificação estava prevista para o dia 5 de fevereiro, mas o governo estadual preferiu antecipar

O governo de São Paulo anunciou, nesta sexta-feira, 15, que as regiões de Araçatuba, Bauru, Franca, Piracicaba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Taubaté passam da Fase 3 – Amarela para a Fase 2 – Laranja do Plano São Paulo. A região de Marília, que já estava na segunda fase, volta para a Fase 1 – Vermelha. A reclassificação estava prevista para o dia 5 de fevereiro, mas o governo estadual preferiu antecipar levando em conta a alta dos números da pandemia no Estado.

O Estado de São Paulo tem, nesta sexta, 1.605.845 casos confirmados de Covid-19 e 49,6 mil mortes pela doença. A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 67,5% no Estado e em 69% na Grande São Paulo. De acordo com o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, todos os índices da pandemia voltaram aos números alcançados no pico da primeira onda, em agosto de 2020. Nesta semana o número de casos cresceu 5%, internações 10% e óbitos 2% — em comparação com a última semana epidemiológica (de 2 a 9 de janeiro).

Socorro ao Estado do Amazonas

O governador do Estado, João Doria, afirmou também que vai enviar 40 respiradores produzidos pela Universidade de São Paulo para o Amazonas, na tentativa de ajudar a minimizar o caso sanitários que a região enfrenta. Doria se disse muito sensibilizado e prestou solidariedade ao povo manauara. De acordo com ele, não é razoável imaginar que uma situação de caos seja debitada da conta de um prefeito ou governador. “Temos governo federal para quê? Temos Ministério da Saúde para quê? Esse descumprimento com a vida é mais um resultado do negacionismo do governo Jair Bolsonaro”, disse. “Hoje li uma manifestação do presidente Jair Bolsonaro dizendo que fez tudo o que estava ao seu alcance e que o problema agora era do Estado do Amazonas e da Prefeitura de Manaus. Inacreditável. Em outros países isso seria classificado como genocídio.”

O primeiro lote de respiradores parte ainda nesta sexta-feira; o último chega até terça-feira (19). A Latam se disponibilizou para encaminhar e transportar os respiradores imediatamente. João Doria também anunciou a disponibilização de leitos públicos e o gerenciamento de leitos privados para os que precisarem ser transportados de Manaus. Além disso, o governo de São Paulo ofereceu atendimento para 60 bebês prematuros que podem ficar sem oxigênio no Estado da região norte do Brasil. “Já fizemos contato com o secretário de Saúde do Amazonas e ele está fazendo um levantamento de quantos bebês e gestantes ainda precisam na nossa assistência”, afirmou Gorinchtyen.