Justiça nega pedido de prisão domiciliar de Fabrício Queiroz

  • 20/06/2020 07h37
DivulgaçãoFabrício Queiroz foi preso nesta semana em Atibaia

A defesa de Fabrício Queiroz teve seu pedido de habeas corpus que pleiteava a substituição da prisão preventiva por prisão domiciliar negado neste sábado (20). O advogado do ex-assessor de Flávio Bolsonaro havia citado o “atual estágio da pandemia do coronavírus” e afirmou que Queiroz “é portador de câncer no cólon e recentemente se submeteu à cirurgia de próstata” para tentar conseguir o benefício.

A decisão pela negativa foi da desembargadora Suimei Cavaleiri, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O mérito do habeas corpus será debatido, em data futura, pelo colegiado da 3ª Câmara Criminal.

O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos) foi encontrado na manhã desta quinta-feira (18) em uma casa em Atibaia (SP) de propriedade de Frederick Wassef, advogado de Flávio.

A prisão faz parte de desdobramento da investigação que apura esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, que é o desvio de públicos por meio da devolução parcial de salário pelos assessores.

O policial militar aposentado também é investigado por lavagem de dinheiro fazendo transações imobiliárias com valores de compra e venda fraudados. Ele teria movimentado R$ 1,2 milhão em sua conta bancária de forma atípica, de acordo com o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).