Incêndios avançam no Pantanal e MS anuncia operação contra o fogo

  • Por Jovem Pan
  • 31/10/2019 21h46
Reprodução/TwitterEm 24 horas, os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registraram 437 focos no Estado, a maioria nessa região

Entre a noite de quarta e a tarde desta quinta-feira (31), incêndios destruíram mais de 5 mil hectares no Pantanal, em Mato Grosso do Sul. Em 24 horas, os satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) registraram 437 focos no Estado, a maioria nessa região. O acumulado nos últimos cinco dias chegou a 1.432 focos e somente no Pantanal a área queimada foi ampliada para 55 mil hectares.

O governo estadual anunciou uma “operação de guerra” contra os incêndios, que vai ser lançada neste fim de semana nas áreas mais críticas, que são os municípios pantaneiros de Miranda, Aquidauana e Corumbá. Duas aeronaves e 95 homens vão se juntar à força-tarefa que já atua na região. A pedido do governador Reinaldo Azambuja (PSDB), o governo do Distrito Federal vai deslocar 35 bombeiros e um avião Air Tractor equipado com lança-água para apoiar o combate às chamas. Outros 60 brigadistas do Ibama e do Instituto Chico Mendes irão para a área.

Nesta quinta-feira, mais 30 bombeiros do Estado foram deslocados para o local. A passagem do fogo deixou um cenário desolador de campos devastados, matas calcinadas e animais mortos. O prejuízo ainda não foi calculado.

De acordo com os bombeiros, as chamas abriram uma vasta clareira de 60 quilômetros no sentido oeste-leste do Pantanal Sul e, mesmo onde já foram controladas, permanece uma névoa cinzenta. Nos pontos com focos ativos, a fumaça se espalha em uma extensão de 120 quilômetros, na região turística do Passo da Lontra, ao longo da rodovia MS-184.

Nesta quinta-feira, secretários de segurança e meio ambiente do Mato Grosso do Sul e do Mato Grosso assinaram termo de cooperação para o combate aos incêndios que atingem o Pantanal, bioma presente nos dois Estados, considerado patrimônio da humanidade. O termo prevê ações conjuntas na prevenção e combate aos incêndios e a realização de estudos para uniformizar a legislação que incide sobre o Pantanal.

* Com informações do Estadão Conteúdo