João Santana renuncia a cargo em campanha presidencial na República Dominicana

  • Por Agência Estado
  • 22/02/2016 18h14
DF - LAVA JATO/23ª FASE/JOÃO SANTANA - POLÍTICA - Foto de arquivo de 07/10/2010 de João Santana, marqueteiro do PT, durante debate na Universidade Católica de Brasília. João Santana é um dos alvos da Operação Acarajé, 23ª fase da Lava Jato, deflagrada pela Polícia Federal nesta segunda-feira, 22. Santana trabalhou nas campanhas do ex- presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente Dilma Rousseff. A nova fase mira os pagamentos feitos pela construtora Norberto Odebrecht para Santana, no exterior. Foram presos o operador de propinas Zwi Skornik e estão em andamento buscas e apreensões ainda na Odebrecht. As medidas contra Santana foram prejudicadas, pois ele está fora do País. 23/09/2010 - Foto: WILSON PEDROSA/ESTADÃO CONTEÚDO Wilson Pedrosa/Estadão Conteúdo Marqueteiro João Santana é alvo da 23ª fase da Lava Jato (Estadão Conteúdo)

Após ter sua prisão decretada pelo juiz Sérgio Moro, o jornalista e marqueteiro João Santana, que atuou nas campanhas de Lula e Dilma (2010 e 2014) à Presidência, divulgou carta nesta segunda-feira, 22, informando ter renunciado de seu cargo na campanha do presidente Danilo Medina à reeleição na República Dominicana. No texto, Santana diz que a renúncia permitirá a ele “defender-se de acusações infundadas” e ressaltou que se colocou à disposição das autoridades desde a semana passada para esclarecer “qualquer especulação”.

Nesta manhã, a Polícia Federal deflagrou a 23ª etapa da Lava Jato e cumpriu 51 mandados. Os mandados de prisão temporária de Santana e sua esposa, contudo, não foram cumpridos pois ambos estavam na República Dominicana. Os dois informaram que vão se apresentar às autoridades brasileiras em breve.