Kim Kataguiri critica demissão de Moro: ‘Não existe mais governo Bolsonaro’

  • Por Jovem Pan
  • 24/04/2020 13h41 - Atualizado em 24/04/2020 13h55
Reprodução/YoutubeKim Kataguiri é deputado federal pelo DEM-SP

A demissão de Sergio Moro do Ministério da Justiça e da Segurança Pública foi duramente criticada por Kim Kataguiri. Em entrevista exclusiva ao Grupo Jovem Pan no início da tarde desta sexta-feira (24), o deputado federal do DEM-SP disse que o presidente Jair Bolsonaro se perdeu, “superdimensionou a própria popularidade” e, agora, vai assistir ao próprio governo “ruir” após a saída do ex-juiz.

“Não existe mais governo Bolsonaro”, disparou Kataguiri. “A partir da demissão do ministro Sergio Moro, o que a gente vê é o derretimento completo do discurso da base que elegeu o governo Jair Bolsonaro. Não dá mais para a militância bolsonarista usar a mesma estratégia que utilizou com (Gustavo) Bebianno, com (Luiz Henrique) Mandetta e com Janaina Paschoal… De tentar colocar a pecha de comunista em Sergio Moro”, acrescentou.

“Sergio Moro é maior do que Jair Bolsonaro. Tem mais apoio na população e na direita. E perder a base de direita para Jair Bolsonaro é fatal. O que significa, na minha opinião, uma perda completa de governabilidade, de militância nas redes. Agora, o que se vê é um ataque da própria base bolsonarista, e com razão. Porque, como o próprio ex-ministro Sergio Moro disse, nem no governo do PT a gente viu tamanha interferência na Polícia Federal. Não são palavras minhas, são palavras dele. E isso é extremamente grave”, complementou.

Segundo Kim, a demissão de Moro “escancara que Jair Bolsonaro não está preocupado com o País, mas sim com seu próprio projeto de poder”. O deputado federal disse ainda que, embora não tenha participado de nenhuma conversa explícita sobre impeachment, a avaliação dentro do Congresso é de que, após as acusações feitas por Sergio Moro, “não existe mais sustentação política” para aprovação de nenhum projeto do governo.

“É um clima muito ruim”, definiu. “A única vez em que a gente viu o MDB recusando cargos foi no fim do segundo mandato da presidente Dilma, e a gente sabe bem o que aconteceu depois disso. Quando chega no ponto de parlamentares que se elegem com emendas recusarem cargos do governo federal, é porque a credibilidade do governo no Congresso alcançou uma situação insustentável”, acrescentou.

“Guedes também deve pedir demissão”

Kim Kataguiri disse ainda que, depois das saídas de Mandetta e Moro, a próxima baixa do governo deve ser protagonizada por Paulo Guedes. De acordo com o deputado, ao lançar o programa Pró-Brasil, Bolsonaro iniciou um processo de “fritura” do ministro da Economia, que, no entendimento de Kim, tem tudo para deixar o cargo em breve.

“Eu não vejo sustentação para a permanência do ministro Paulo Guedes”, analisou Kataguiri. “Ele já vem sendo escanteado há algum tempo… O presidente Bolsonaro mina o poder dele. Eu não tenho dúvidas de que a a situação do ministro Paulo Guedes é insustentável. Na minha avaliação, ele deve, sim, tomar a inciativa de pedir demissão nos próximos dias ou semanas”, finalizou.