Lava Jato denuncia e pede nova prisão de Paulo Preto por lavagem de dinheiro

  • Por Jovem Pan
  • 24/06/2019 18h15 - Atualizado em 24/06/2019 18h16
Robson Fernandjes/Estadão Conteúdo Ex-diretor da Dersa teria recebido US$400 mil em transações ilícitas 2016

Os procuradores da Operação Lava Jato no Paraná apresentaram uma nova denúncia contra o ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto. O Ministério Público aponta que ele teria recebido US$400 mil em lavagem de dinheiro em 2016.

A investigação da promotoria revelou que Paulo Preto teria transferido a quantia de sua conta na Suíça para uma outra conta em Hong Hong. A transação teria sido feita pelo doleiro Wu-Yu Sheng e pelo operador financeiro Rodrigo Tacla Duran. Os dois, em seguida, teriam enviado os valores para o Brasil.

A movimentação foi registrada em detalhe por Paulo Vieira de Souza em seu celular como “Grude – OK Rui Rei”, sendo “Rui Ruei” um dos codinomes utilizados por Duran.

Com a investigação, a força-tarefa da Lava Jato pediu nova prisão cautelar de Paulo Preto. Segundo os procuradores, “ficou evidenciado que, em liberdade, o operador persistiu dissipando o seu patrimônio obtido ilicitamente a partir da conta bancária que abriu no Deltec Bank and Trust Limited, nas Bahamas, para onde foram enviados, no início de 2017, cerca de US$ 34 milhões que antes mantinha na Suíça. A partir da nova conta em Bahamas, foram realizadas ao menos sete transferências, entre 2017 e 2019, que somaram mais de US$ 5 milhões, conforme discriminado na peça acusatória”.