Leilão da Cedae arrecada R$ 2,2 bilhões para exploração de água na zona oeste do Rio e outras 20 cidades

Empresa vencedora, ‘Águas do Brasil’ se compromete a investir R$ 4,7 bilhões em 35 anos para universalizar serviços

  • Por Jovem Pan
  • 29/12/2021 17h58 - Atualizado em 29/12/2021 18h05
Daniel Resende / Enquadrar / Estadão Conteúdo - 30/05/2021 Cláudio Castro, governador do Rio, dá entrevista coletiva usando uma máscara escura Cláudio Castro, governador do Rio de Janeiro, celebrou os resultados do leilão

O governo do Estado do Rio de Janeiro realizou nesta quarta, 29, o leilão do Bloco 3 dos serviços de fornecimento de água e saneamento básico da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), para moradores de 22 bairros da zona Oeste do Rio e de outras 20 cidades. A empresa vencedora foi o Grupo Águas do Brasil, com a oferta de R$ 2,2 bilhões, que irão para o caixa do governo fluminense. O lance mínimo estabelecido era de R$ 1,16 bilhão e o ágio foi de 90%. Além da vencedora, participou da concorrência a empresa Aegea, que já havia arrematado os blocos 1 e 4 anteriormente – o bloco 2 ficou com o Consórcio Ingá na primeira fase do leilão. O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), celebrou o resultado da concorrência nas redes sociais.

O Grupo Águas do Brasil se comprometeu a investir R$ 4,7 bilhões ao longo dos 35 anos de contrato para universalizar os serviços na área impactada, que tem 2,7 milhões de moradores. Além disso, serão necessários R$ 13,6 bilhões para garantir a operação e manutenção do sistema no período integral da concessão e e R$ 1,1 bilhão nos primeiros cinco anos para a reduzir a poluição na bacia do rio Guandu. O governo do Rio de Janeiro garante que não haverá aumento na conta de água para os moradores. Os municípios que integram o bloco são Bom Jardim, Bom Jesus do Itabapoana, Carapebus, Carmo, Itaguaí, Itatiaia, Macuco, Natividade, Paracambi, Pinheiral, Piraí, Rio Claro, Rio das Ostras, São Fidélis, São José de Ubá,  Sapucaia, Seropédica, Sumidouro, Trajano de Moraes e Vassouras, além do Rio de Janeiro. Os bairros da capital estadual afetados serão Bangu, Barra de Guaratiba, Campo dos Afonsos, Campo Grande, Cosmos, Deodoro, Gericinó, Guaratiba, Inhoaíba, Jardim Sulacap, Magalhães Bastos, Paciência, Padre Miguel, Pedra de Guaratiba, Realengo, Santa Cruz, Santíssimo, Senador Camará, Senador Vasconcelos, Sepetiba, Vila Kennedy e Vila Militar.