Após encontro com Bolsonaro, Maia destaca importância do ‘diálogo’ e pede adiamento do Enem

  • Por Jovem Pan
  • 14/05/2020 17h08 - Atualizado em 15/05/2020 10h16
Frederico Brasil/Estadão ConteúdoRodrigo Maia é o atual presidente da Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (14), após se encontrar com o presidente Jair Bolsonaro, que pretende “manter o diálogo entre os Poderes em prol da sociedade”. Ele contou ainda que, durante a reunião, ressaltou a necessidade “de fazer esse debate em conjunto, dialogando e avaliando o papel dos Poderes” diante da crise causada pela pandemia.

O encontro com Bolsonaro durou cerca de 30 minutos e, segundo Maia, o convite partiu dos ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e general Braga Netto (Casa Civil). “O presidente da Repúbica e o presidente da Câmara podem conversar e manter um diálogo e, claro, a gente precisa gerar esperança para a sociedade neste momento”, disse.

Além dos assuntos relacionados ao combate da pandemia do novo coronavírus, que causa a Covid-19, e das reformas do governo, Maia pediu ao presidente, no encontro, o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A data da prova foi mantida para novembro pelo Ministério da Educação, e as inscrições estão abertas. “Outro pleito que fiz ao presidente foi o adiamento do Enem. É um tema muito sensível e ele ficou de avaliar e dar resposta. É melhor uma decisão do presidente em diálogo com o Parlamento e do que apenas decisão do Parlamento.”

O presidente da Câmara afirmou ainda que recebeu visita dos ministros Ramos e Braga Netto e, com o cargo que ocupa, “tem a obrigação de estar sempre dialogando”. “No momento em que sou convidado pelos ministros, que me visitaram dias atrás, e o presidente me chama para conversar, eu não nego. Coloquei o que acredito e ele também.”

Críticas de Bolsonaro ao deputado

Mais cedo, Bolsonaro criticou a atuação de Maia na Câmara com os projetos apresentados pelo governo. Sem citar o nome de Maia, ele afirmou, em videoconferência com empresários, que “o comando da Câmara dá a relatoria, ele já sinaliza que não quer resolver nada, parece que quer afundar a economia para ferrar o governo e talvez tirar um proveito político”.

Para Maia, no entanto, os problemas que estão sendo enfrentados são mais importantes que as “divergências políticas”. “A população brasileira está acima de conflitos e criticas. A Câmara vem cumprindo seu papel e espero que a gente possa dialogar e sentar na mesa. Todo mundo sabe das divergências, mas vamos conversar. Em muita coisa vamos convergir e em outras divergir, mas é importante estar na mesa conversando.”