Eduardo Bolsonaro anuncia ‘maior evento conservador do mundo’ no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2019 21h58
Reprodução/TwitterParticipantes não foram confirmados, mas comparecerão figuras ligadas ao governo Trump

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) anunciou, nesta quarta-feira (14), que o maior evento conservador do mundo, o Conservative Political Action Conference (CPAC), será realizado pela primeira vez no Brasil, nos dias 11 e 12 de outubro.

A conferência, sediada em São Paulo, será uma espécie de filial da CPAC. Terá o selo oficial, mas não será o encontro anual, já que a edição de 2019 nos Estados Unidos já ocorreu e a de 2020 tem data e local agendados: será em National Habor, no estado de Maryland, entre os dias 26 e 29 de fevereiro do próximo ano.

Segundo o deputado, a decisão acontece “após meses de trabalho”. O evento é tradição nos Estados Unidos desde 1973 e já recebeu nomes como os presidentes Ronald Reagan e Donald Trump.

De acordo com as redes sociais da CPAC, os participantes da edição no Brasil serão comunicados em breve. No entanto, eles adiantam que “receberemos nomes políticos e culturais do Brasil e dos EUA, contando com a participação de figuras ligadas ao governo de Trump”.

No vídeo publicado por Eduardo para divulgar o evento, aparecem imagens do país, como do Pão de Açúcar, no Rio de Janeiro, da Amazônia, e das cataratas de Foz do Iguaçu, no Paraná, além de várias da capital de São Paulo. Intercalam-se cenas das edições anteriores e imagens de políticos brasileiros, como o próprio deputado e seu pai, o presidente Jair Bolsonaro. Tudo isso com uma batida típica de carnaval ao fundo.

Confira:

Em outra publicação na sua página no Twitter, Eduardo escreveu: “Sempre nos pediram para a direita se organizar. É verdade. Estamos fixando no Brasil as bases conservadoras para colocar adiante as reformas que necessitamos e evitar que outra Venezuela surja na região.”

Ótima relação com Trump

A família Bolsonaro tem uma ótima relação com Trump, tanto que já foi ao país mais de uma vez desde que o presidente assumiu o cargo. A indicação de Eduardo à embaixada do Brasil em Washington foi bem recebida pelo líder americano, que afirmou que conhece o deputado e que acha ele “excelente, brilhante, um jovem maravilhoso”.

Bolsonaro contou que eles se conheceram quando o presidente esteve pela primeira vez nos Estados Unidos. “Entrei em uma reunião e ele [Trump] mandou o ajudante chamar o Eduardo para participar”, esclareceu. Eduardo já disse diversas vezes que, se assumir a embaixada, irá estreitar as relações com os EUA.