Ministério da Saúde afirma que Brasil não tem casos confirmados de reinfecção da Covid-19

Ocorrências investigadas apontam para ‘falsos positivos’, amostradas alteradas e demais problemas

  • Por Jovem Pan
  • 26/08/2020 19h18 - Atualizado em 27/08/2020 08h54
EFE/EPA/AMPE ROGERIOTestes laboratoriais detectam a Covid-19

Durante coletiva de imprensa do Ministério da Saúde realizada no fim da tarde desta quarta-feira, 26, o diretor do Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de Doenças não Transmissíveis DASNT/ SVS, Eduardo Marques Macário, comentou que o país não tem nenhum caso de reinfecção pela Covid-19. “Somente um caso foi confirmado em Hong Kong. No Brasil a maioria dos casos que estão sendo investigados apontam para resultados falso positivos, amostras alteradas e etc. De qualquer forma o Ministério tem acompanhado esses supostos casos junto com os laboratórios parceiros, Fiocruz, Instituto Adolfo Lutz e Instituto Carlos Chagas”, disse. No entanto, a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro informou que apura uma possível reinfecção numa paciente de 39 anos que mora na cidade de Volta Redonda, no sul fluminense.

Os debates sobre uma possível reinfecção pelo novo coronavírus começaram após pesquisadores de Hong Kong anunciarem que um jovem apresentou novo caso da doença quatro meses e meio depois de se infectar pela primeira vez. O anúncio foi feito na segunda-feira (24). Ontem, a televisão pública da Holanda, NOS, anunciou que o país também tinha registrado uma reinfecção, assim como a Bélgica. A Organização Mundial de Saúde (OMS) não comentou nenhum dos casos europeus. A diretora substituta do Departamento de Articulação Estratégica de Vigilância em Saúde, Greice Madeleine Ikeda do Carmo, também participou da coletiva e disse ser ‘muito raro’ um caso desses.

Também em seu pronunciamento, Eduardo Macário disse que o ‘primeiro grande acerto’ do Brasil na luta contra a Covid-19 foi o SUS. Segundo ele, o Sistema Único de Saúde “está dando provas de sua força, no sentido de não deixar nenhuma pessoa sem tratamento e atendimento”. Eduardo encerrou dizendo que o número elevado de casos registrados nas últimas semanas se deve ao aumento do volume de exames laboratoriais, enquanto ao número alto de mortes, o diretor da SVS/MS afirmou que muitos dos óbitos aconteceram em meses anteriores e só estão sendo contabilizados agora porque aguardavam elucidação.