Ministério da Saúde anuncia restabelecimento total de sistemas após ataque hacker

Ação virtual ocorreu no início de dezembro; secretário nega que tenha ocorrido apagão de dados relativos à Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2022 22h49 - Atualizado em 12/01/2022 22h51
Walter Rosa / Ministério da Saúde Homens brancos, usando máscara cirúrgica no rosto, falam em frente a microfone Rodrigo Cruz (à direita) anunciou restabelecimento de sistemas e disse que não houve perda de dados

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta, 12, que conseguiu restabelecer totalmente os sistemas informacionais que foram alvo de um ataque hacker ocorrido no dia 10 de dezembro de 2021. De acordo com o secretário-executivo da pasta, Rodrigo Cruz, a expectativa é que todos os dados que antes estavam inacessíveis fiquem disponíveis à população até a próxima sexta, 14. “É importante deixar claro que não houve perda de informação e que não há apagão de dados. As informações existem e o Ministério continuou recebendo e divulgando dados durante esse período, especialmente os da pandemia. Essas informações foram e continuam sendo disponibilizadas de fácil acesso no nosso site através dos nossos boletins informativos e boletins epidemiológicos”, relatou Cruz.

Segundo o secretário, o primeiro passo do plano do governo para conseguir o restabelecimento foi ter a certeza de que nenhum dado havia sido comprometido para, na sequência, buscar a retomada propriamente dita dos sistemas. O app ConecteSUS, por exemplo, no qual é possível acessar os dados de vacinação, já funciona normalmente. “Os nossos sistemas e as informações de Covid-19, como casos, óbitos e da Campanha de Vacinação, são guardados na nuvem. O hacker conseguiu acessar a nuvem e excluiu os nossos sistemas. Não são sistemas de prateleira, que você apaga e coloca um CD ou pen-drive e reinstala. Quando o sistema é excluído, precisa reconstruí-lo porque ele é personalizado e construído especificamente para o Ministério da Saúde. [Agora], todos os sistemas estão com o processo de captura de dados restabelecida”, afirmou Rodrigo Cruz.