Ministério da Saúde: Quem teve contato com presidente deve procurar atendimento médico

Palácio do Planalto, no entanto não recomentou a quarentena para quem teve “simples contato” com Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 08/07/2020 19h56 - Atualizado em 08/07/2020 19h56
Isac Nóbrega/PRBolsonaro testou positivo para a covid-19 na terça-feira, 7

Questionado sobre quais seriam as orientações para quem teve contato com o presidente Jair Bolsonaro, que foi diagnosticado com covid-19, o Ministério da Saúde reforçou a recomendação pela busca de atendimento médico.

“A nossa orientação é a de que qualquer pessoa que tenha contato com caso confirmado, deva procurar uma unidade de saúde”, disse o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia.

“Se for o caso, (o médico) vai prescrever medida de distanciamento, medidas terapêuticas, farmacológicas ou não, e com pleno consentimento do paciente”, completou o secretário.

Para Julio Croda, ex-diretor do Departamento de Imunizações e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde e pesquisador da Fiocruz, quem esteve próximo ao presidente em até dois dias antes do aparecimento dos sintomas deve se isolar por ao menos sete dias.

O Palácio do Planalto, no entanto não recomentou a quarentena para quem teve “simples contato” com o presidente. Em nota, o governo afirmou não ter protocolo de isolamento para quem teve contato com teve a doença. A orientação que damos aos servidores é procurar assistência médica quando apresentarem sintomas relacionados à covid-19, para avaliar necessidade de testagem. Nos casos considerados suspeitos, os servidores são orientados a ficar em casa até o resultado do exame”, diz o texto.

Na mesma nota, o governo informou que 108 dos 3.400 servidores do Palácio do Planalto testaram positivo até 3 de julho. “Não houve mortes e mais de 90% desses casos foram assintomáticos ou apresentaram apenas sintomas leves.”

Bolsonaro sentiu os primeiros sintomas da covid-19 no domingo, 5. “Não se sabe quem vai desenvolver sintoma. É melhor que se fique isolado”, afirma o infectologista Croda. Se necessário, o teste do tipo RT-PCR, que detecta a presença do vírus, deve ser feito por volta de cinco dias após o contato com Bolsonaro. “Tem gente que já está fazendo exame. Mas, se der negativo, pode ser um resultado falso. Tem de refazer lá na frente”, afirmou o infectologista.

O serviço de teleatendimento do Ministério da Saúde sobre a covid-19, acessado por meio do número 136, por sua vez, orienta o isolamento de 14 dias para pessoas que tiveram contato com casos confirmados da doença, situação do presidente.

* Com Estadão Conteúdo