Um ano após desaparecimento, modelo Eloisa Fontes é encontrada ‘desorientada’ em comunidade no Rio

Jovem foi encaminhada para o hospital psiquiátrico Instituto Municipal Philippe Pinel, onde segue internada; em 2019, Eloisa já havia sido resgatada vagando em uma cidade próxima a Nova York

  • Por Carolina Fortes
  • 08/10/2020 17h03 - Atualizado em 08/10/2020 21h13
Glamour BulgariaJovem fez alguns trabalhos em Nova York e chegou a ser uma grande promessa no mercado internacional

Desaparecida há um ano, a modelo alagoana Eloisa Pinto Fontes, de 26 anos, foi encontrada “desorientada” e “correndo risco de vida” no interior da comunidade do Morro do Cantagalo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, nesta quarta-feira, 7. Eloisa foi resgatada pela operação Ipanema Presente, que faz parte da Operação Segurança Presente, que atua no patrulhamento das ruas no Rio e em ações preventivas. A jovem fez alguns trabalhos em Nova York e chegou a ser uma grande promessa no mercado internacional com trabalhos para marcas e revistas renomadas no meio da moda, como as publicações Glamour e Elle, e a grife Dolce & Gabbana.

Com o apoio de moradores, a modelo foi resgatada e levada para a base do Ipanema Presente, na Praça General Osório. O serviço social da organização localizou a mãe e um casal de amigos de Eloisa, que prestaram apoio “com informações importantes”, segundo a operação. Em ação conjunta com Francisco Assis, um amigo da família residente no Rio de Janeiro, o serviço social conduziu a modelo para o Instituto Municipal Philippe Pinel, onde ela passou por uma avaliação psiquiátrica e ficou internada para cuidados de sua saúde mental. Eloisa foi casada e tem uma filha, Azzurra, com o modelo e produtor executivo russo Andre Birleanu, de 38 anos. Em 2019, a jovem já havia sido encontrada vagando em uma cidade próxima a Nova York, após ficar cinco dias desaparecida. Ela se mudou para o Rio de Janeiro em janeiro deste ano, depois de 11 meses vivendo nos Estados Unidos.