Moro diz que PF investiga ‘ofensas e ameaças’ contra Jean Wyllys desde 2017

  • Por Jovem Pan
  • 27/01/2019 09h12 - Atualizado em 27/01/2019 09h39
Agência EFEO ministro da Justiça e da Segurança Pública lamentou o fato de o deputado ter anunciado que não assumirá seu terceiro mandato

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou por meio de nota divulgada neste sábado (26) que a Polícia Federal abriu inquéritos, ao longo de 2017 e 2018, “para apurar ofensas e ameaças” contra o deputado federal, Jean Wyllys (PSOL-RJ). Na última quinta-feira (24), ele comunicou ao seu partido que não assumiria o terceiro mandato, para o qual foi eleito em outubro do ano passado, devido a ameaças que tem sofrido.

De acordo com Moro,  a Polícia Federal identificou um dos autores: Marcelo Valle Silveira Mello, preso em 2018. Conforme a nota, Mello integra o grupo autointitulado “Homens Sanctos” e usava a identidade de Emerson Setim para fazer ameaças ao deputado. O Ministério da Justiça e Segurança Pública “repudia a conduta dos que se servem do anonimato da internet para covardemente ameaçar qualquer pessoa e em especial por preconceitos odiosos”, diz o texto.

Moro também lamentou o fato de Wyllys ter de deixar o país devido a ameaças.

Nesta semana, o deputado anunciou, em carta ao PSOL, que não assumirá o mandato na Câmara dos Deputados, para o qual foi reeleito em outubro de 2018, e que ficará um tempo fora do país.

*Com informações da Agência Brasil