Morre o jornalista e musicólogo Zuza Homem de Mello aos 87 anos

De acordo com a família de Zuza, ele morreu em sua casa, em São Paulo, devido a um infarto agudo do miocárdio

  • Por Jovem Pan
  • 04/10/2020 12h15 - Atualizado em 04/10/2020 16h56
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO Zuza Homem de Mello comandou o Programa do Zuza na Jovem Pan entre os anos de 1977 e 1988

Morreu na noite deste sábado, 3, o maestro, escritor, musicólogo e também jornalista Zuza Homem de Mello aos 87 anos, em São Paulo. Segundo a família do maestro, Zuza faleceu em decorrência de um infarto agudo do miocárdio enquanto dormia em sua casa e o velório será reservado apenas aos familiares por causa da pandemia do novo coronavírus. “Com enorme dor no coração, comunico que perdemos nosso querido Zuza. Ele morreu dormindo, de infarto, após termos brindado, na noite de ontem, todos os projetos bem sucedidos. Em 35 anos de uma vida compartilhada, pude testemunhar o amor deste homem pela vida, pelo seu trabalho e pela música. Zuza nos deixou, em paz, após viver uma vida plena”, diz a nota assinada por sua esposa, Ercília Lobo, seus filhos e seus netos.

O maestro tem uma forte ligação com a Jovem Pan, onde comandou o Programa do Zuza entre os anos de 1977 e 1988. Ouça áudios históricos de Zuza na JP. Ele trabalhou com músicos como Elis Regina, Gilberto Gil, Milton Nascimento e outros grandes nomes da história da música brasileira. Em entrevista à Jovem Pan, Júlio Maria, crítico musical e amigo de Zuza, contou que o escritor havia acabado de encerrar uma biografia sobre João Gilberto e estava muito feliz. “Ele comemorou com sua mulher, Ercília, grande companheira. Ele brindou à feitura da biografia de João Gilberto, que ele terminou na terça-feira passada, foi dormir feliz, e infelizmente não acordou”, contou à Jovem Pan.

O amigo do jornalista ainda deu um recado. “Ele estava felicíssimo contando sobre a biografia, chorou lembrando de histórias de João Gilberto sobre o disco Amoroso. Então, se você quiser dar um presente em homenagem ao Zuza, ouça o LP Amoroso, de 1977, que é o que mais o emocionava.” Segundo Júlio Maria, o livro ainda não tinha um nome definido na última vez em que conversaram e é “o maior mergulho já feito na história de João Gilberto”. Ainda segundo o crítico musical, a obra escrita por Zuza sai ainda neste ano pela Editora 34.