Motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo confirmam greve nesta terça

Paralisação começa às 00h e está prevista para durar 24 horas; categoria pede reajuste salarial de 12,47% e outras reivindicações

  • Por Jovem Pan
  • 13/06/2022 19h42
FÁBIO VIEIRA/FOTORUA/ESTADÃO CONTEÚDO Ônibus SP Protesto ônibus São Paulo

Os motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo confirmaram nesta segunda, 13, que irão realizar uma paralisação de 24 horas nesta terça, 14, a partir das 00h. Os trabalhadores começarão a greve como forma de pressionar por um reajuste salarial de 12,47%, igual à inflação contabilizada em 2021 pelo IBGE, além de outras reivindicações da categoria como 100% das horas extras, fim da hora de almoço não remunerada e participação em lucros e resultados. Nesta segunda, uma reunião de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) entre o SindMotoristas (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo) e o SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo) terminou sem acordo, o que fez com que a paralisação fosse anunciada.

“A princípio o setor patronal insistiu em oferecer apenas 10% de reajuste e ainda de modo parcelado. Agora, ofereceram os 12,47%, mas apenas a partir de outubro, o que é inadmissível. Sem o merecido reconhecimento, motoristas, cobradores e profissionais da manutenção cruzarão os braços nesta terça”, declarou o presidente em exercício do SindMotoristas, Valmir Santana da Paz, conhecido como Sorriso. A entidade ainda informou que os terminais devem ser fechados a partir da meia-noite, mas será mantida a determinação judicial de ter 80% da frota em circulação nos horários de pico (das 6h às 9h e das 16h às 19h) e 60% nas demais horas do dia.