Mulher carbonizada em SP seria moradora de rua; caso é investigado como homicídio

Segundo Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, testemunhas viram mulher discutindo com homem que vivia com ela dias antes do crime

  • Por Jovem Pan
  • 03/01/2021 15h05
Google Street View/ReproduçãoCaso foi registrado no bairro do Tatuapé

O corpo carbonizado nas imediações da Avenida Salim Farah Maluf, no bairro do Tatuapé, na manhã deste domingo, 3, seria de uma moradora de rua que vivia com um companheiro e chegou a entrar em vias de fato com ele dias antes de ser incendiada. As informações foram dadas à Polícia Civil por outros moradores de rua que encontraram o corpo incendiado e acionaram o socorro. O caso é investigado pela polícia como homicídio qualificado e a vítima ainda não foi identificada. “Um dos moradores de rua contou aos policiais que não conhecia a mulher, mas que soube por outras pessoas que a vítima morava ali com um companheiro, sendo que o casal vivia em conflito”, afirma trecho da nota da Secretaria de Segurança Pública da capital.

Ainda segundo as testemunhas, o casal teria sido visto dormindo junto na noite do sábado, poucas horas antes da mulher ter sido encontrada morta. Ao contrário do informado anteriormente pelo Corpo de Bombeiros, o corpo da vítima não foi encontrado na via principal do bairro; ele foi achado ainda em chamas na rua Melo Freire, uma das vias de acesso à Salim Farah Maluf. A equipe apagou as chamas e deixou o caso sob investigação policial. O caso é investigado pela 10ª Delegacia de Polícia de São Paulo é assessorado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa.