Mulher de 25 anos morre após cirurgia para colocar silicone em Lorena (SP)

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2019 14h19
Reprodução/FacebookDayane pagou R$ 1 500 pela aplicação, que foi realizada em sua própria casa

Uma jovem de 25 anos morreu na noite de quarta-feira, 24, após colocar silicone nos glúteos. A cirurgia aconteceu em Lorena, no interior de São Paulo, e a suspeita é de que o produto aplicado seja de uso proibido. Dayane Rodrigues da Silva pagou R$ 1 500 pela aplicação, que foi realizado em sua própria casa. No meio do procedimento, ela começou a passar mal.

Os dois homens que aplicavam o silicone abandonaram o local A babá dos filhos de Dayane levou a jovem ao pronto-socorro da Santa Casa de Lorena. Ela foi encaminhada à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), mas sofreu parada cardiorrespiratória e não resistiu.

Duas pessoas suspeitas de terem feito o procedimento ilegal já foram identificadas e detidas pela Polícia Civil, que investiga possível homicídio. A polícia acredita que o silicone seja industrial, tipo que não pode ser usado para tratamento estético.

De acordo com a apuração da polícia, Dayane fez contato com dois cabeleireiros de Jacareí (SP) que ofereciam o tratamento estético. Ela pagou a passagem de ônibus para que eles se deslocassem até Lorena. Durante o procedimento, a jovem começou a passar mal.

O corpo da jovem foi levado para necropsia no Instituto Médico Legal (IML) de Guaratinguetá, cidade vizinha. O laudo deve indicar a causa da morte e se a substância aplicada é silicone industrial, produto vetado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para essa finalidade.

O pai da vítima, José Jair da Silva, disse que a filha havia feito outros procedimentos estéticos anteriormente sem ter problemas.

Dayane morava no bairro Cidade Jardim, era viúva e mãe de três filhos pequenos. Os dois suspeitos de homicídio culposo (sem intenção de matar) foram ouvidos na noite desta quinta-feira, 25, na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jacareí. A identidade deles não foi divulgada e ainda não havia informação se eles ficariam detidos.

*Com informações do Estadão Conteúdo