Multidão protesta contra fechamento do comércio em Manaus

Governador Wilson Lima decretou que, de 26 de dezembro a 10 de janeiro, apenas estabelecimentos com serviços essenciais poderão funcionar

  • Por Jovem Pan
  • 26/12/2020 15h52 - Atualizado em 26/12/2020 17h46
EDMAR BARROS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO FUP20201226239 - 26/12/2020Multidão protesta contra o decreto assinado pelo governador Wilson Lima

Uma multidão se reuniu nas ruas de Manaus, capital do Amazonas, neste sábado, 26, para protestar contra o fechamento do comércio no estado. Na quarta-feira, 23, o governador Wilson Lima decretou que, no período de 26 de dezembro a 10 de janeiro de 2021, apenas os estabelecimentos com serviços essenciais poderão funcionar. Padarias, supermercados, farmácias, vendas de gás, água e hotéis continuarão abertos. Bares, restaurantes, lanchonetes e lojas de conveniência ficarão fechados no período, funcionado apenas por drive-thru e/ou delivery até às 21h. Em vídeos que circulam nas redes sociais, comerciantes aparecem gritando, em coro: “Queremos trabalhar!”.

“A partir de hoje, a determinação que eu estou dando para a Secretaria de Segurança Pública, e isso a gente vai colocar em decreto, é que os eventos clandestinos serão fechados, os equipamentos de som recolhidos, assim como bebidas e outros acessórios e instrumentos que estejam sendo utilizados para a realização desses eventos”, disse o governador nesta quarta. Atualmente, o estado acumula 195.806 casos confirmados e 5.161 óbitos por Covid-19. Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, 88,9% dos leitos de UTI estão ocupados.