‘Não tinha ninguém armado para dar um tiro nele né’, diz Bolsonaro sobre morador de rua

Identificado como Plácido Moura, o homem matou duas pessoas neste domingo, no Rio de Janeiro

  • Por Jovem Pan
  • 29/07/2019 19h02
ReproduçãoBolsonaro fez live nas redes sociais enquanto cortava o cabelo

“Não tinha ninguém armado para dar um tiro nele né, tudo bem”, afirmou o presidente Jair Bolsonaro, na tarde desta segunda-feira (29), em primeiro pronunciamento sobre a morte a facadas de duas pessoas por um morador de rua neste domingo (28) no Rio de Janeiro.

Identificado como Plácido Moura, o homem esfaqueou o engenheiro eletricista da TV Globo, João Napoli e o professor Marcelo Henrique Reis, que tentou impedir os ataques e foi golpeado fatalmente. A namorada de Napoli, que estava no carro junto com ele, também ficou ferida, e está internada em um hospital particular.

“Tava drogado o cara né”, disse Bolsonaro sobre o morador de rua. “Tem que buscar a solução para essas coisas, eu estou fazendo o possível aqui”, completou. Como já declarou várias vezes, ele é defensor da legalidade do posse e da porte de armas. Na última quarta-feira (29), adiantou, inclusive, que pretende ampliar as regras da legítima defesa.

“Se você, cidadão armado, em legítima defesa de sua vida e de terceiros, da sua propriedade, você pode atirar, não interessa quantos tiros vai ser, você entra no excludente de ilicitude”, pontuou.

Bolsonaro tentou instituir, em maio, um decreto que flexibilizava o porte e a posse de armas, que foi derrubado pelo Senado e posteriormente revogado por ele mesmo. Depois disso, editou três novos decretos semelhantes, que devem ser votados na Câmara dos Deputados.