No Texas, Bolsonaro provoca ao falar sobre educação: ‘Como se até o final do ano passado fosse excelente’

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2019 16h29 - Atualizado em 16/05/2019 16h36
Beatriz Bulla/Estadão ConteúdoSegundo ele, "a esquerda brasileira entrou e tomou as escolas e as universidades"

O presidente Jair Bolsonaro recebeu, nesta terça-feira (16), o prêmio de personalidade do ano da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos em Dallas, no Texas. Em seu discurso, ele falou sobre as manifestações que ocorreram nas capitais brasileiras contra o contingenciamento das verbas da educação. “Ontem vimos algumas capitais com marchas pela educação, como se até o final do ano passado ela fosse excelente no país”, provocou. Segundo ele, “a esquerda brasileira entrou e tomou as escolas e as universidades”.

Bolsonaro voltou também a citar a situação da Venezuela, comparando-a com a Argentina — que, de acordo com ele, “está indo para um caminho bem complicado”. “Pobre povo venezuelano […], mas não esqueçam da nossa Argentina, que está indo para um caminho bem complicado”, apelou, referindo-se ao fato de Cristina Kirchner poder vencer Maurício Macri e voltar a governar o país.

O presidente agradeceu ainda o convite para a premiação e se disse confiante na construção de uma boa relação entre Brasil e Estados Unidos. “Nós precisamos, queremos e estamos convictos de que essa união e confiança que começamos a estabelecer nestes últimos meses pode nos levar a fazer acordos comerciais, como assinamos o da base de Âlcantara“, declarou. “O Brasil de hoje é amigo dos EUA, respeita os EUA, e quer os empresários norte-americanos ao nosso lado”.

Sobre a mudança do evento de Nova York para o Texas, devido às constantes críticas que estava recebendo do prefeito da cidade Bill de Blasio, Bolsonaro disse que “lamenta o ocorrido”, mas não “pode ir na casa de uma pessoa que não o queira bem”.

Ele cumpre agenda nos Estados Unidos até esta sexta-feira (17).