PF investiga desvio de recursos públicos da Educação e Saúde para compra de combustível em SP

Operações Tanque Cheio e Rota 68 foram deflagradas nessa terça-feira nas prefeituras de Areias e São José do Barreiro

  • Por Jovem Pan
  • 22/09/2020 15h02 - Atualizado em 22/09/2020 15h02
Reprodução/ Polícia FederalDesvios totalizam R$ 7,8 milhões nas duas prefeituras

A Polícia Federal fez nesta terça-feira (22) duas operações por suspeita de desvio de recursos em duas prefeituras do interior paulista: Areias e São José do Barreiro, batizadas de Operações Tanque Cheio e Rota 68. Além dos dois municípios, foram cumpridas ordens de busca e apreensão em Cruzeiro, Pindamonhangaba e Santo Antônio do Pinhal. As investigações, que tiveram início há mais de um ano, apontaram um grande aumento nos gastos das secretarias de Saúde e Educação dos dois municípios com a compra de combustíveis e lubrificantes. A partir de uma análise das frotas, área dos municípios e frequência dos deslocamentos, a Polícia Federal constatou que era impossível que os gastos correspondessem a necessidades reais.

Foram identificadas, segundo a PF, uma série de fraudes, como direcionamento das licitações, superfaturamento nas compras, abastecimento de veículos particulares com combustível pago com dinheiro público e uso pessoal de carros abastecidos pelo executivo municipal. Em São José do Barreiro, os contratos sob suspeita totalizam R$ 4,7 milhões, sendo mais de R$ 1 milhão de recursos federais. Em Areias, as contratações que estão sendo investigadas tem um valor total de R$ 3,1 milhões, sendo R$ 712,8 mil de recursos federais. De acordo com a PF, os investigados responderão pelos crimes de responsabilidade de prefeito, fraude a licitações, falsidade ideológica, corrupção ativa e passiva e organização criminosa, cujas penas combinadas podem chegar a 39 anos de prisão.

A prefeitura de Areias informou, por nota, que disponibilizou toda a documentação solicitada pela polícia. “As contas públicas municipais dos anos de 2017 e 2018 já se encontram aprovadas pelo Tribunal de Contas, bem como as do ano de 2019, que já possui parecer favorável da fiscalização”, diz o comunicado, assinado pelo prefeito Paulo Henrique de Souza Coutinho. No comunicado, ele ressalta que está “sereno” e que “a municipalidade não tem qualquer envolvimento com as irregularidades investigadas”. A prefeitura de São José do Barreiro ainda não se posicionou.

*Com Agência Brasil