Planalto mantém estratégia e Lula será anunciado como ministro de Dilma

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2016 16h27
Dilma visita Lula sob aplausos de petistas em São Bernardo

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva vai assumir um ministério no governo Dilma nas próximas horas. O Planalto não desistiu da estratégia, mesmo em meio à homologação da delação premiada de Delcídio do Amaral e da revelação de conversa do ministro Aloizio Mercadante que teria tentado impedir o acordo de Delcídio com a Procuradoria-Geral da República.

A confirmação foi dada por líderes de partidos políticos que fizeram reuniões informais na tarde desta terça (15) em Brasília em meio à turbulência das últimas notícias. Um deles classificou o governo como um “doente terminal cujos aparelhos os parentes não aceitam desligar”. As informações são do repórter Jovem Pan em Brasília José Maria Trindade.

Lula deve assumir a pasta da Secretaria de Governo no lugar de Ricardo Berzoini.

Contexto

A aceitação do cargo seria, supostamente, para ganhar a prerrogativa do foro privilegiado do Supremo Tribunal Federal, caso seja denunciado no âmbito da Operação Lava Jato.

Na segunda (14), ao deixar a sede do Instituto Lula, em São Paulo, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, havia dito que o ex-presidente continuava pensando sobre o convite em ocupar algum ministério. “A decisão é dele, pessoal. Minha opinião é que ele deveria ir, independentemente dos protestos, mas é uma decisão difícil, tem que ser muito pensada e ele é que vai tomar essa decisão”, afirmou Falcão.

Mais cedo neste mesmo dia, a Justiça de São Paulo encaminhou à Justiça Federal a denúncia contra o ex-presidente Lula, por suspeita de falsidade ideológica e lavagem de dinheiro no caso do triplex no Guarujá, para a análise do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. A juíza Maria Priscilla Ernandes Veiga Oliveira, titular da 4ª Vara Criminal, afirmou que os fatos de que tratam a denúncia são objeto de investigação pela Lava Jato. “O pretendido nestes autos, no que tange às acusações de prática de delitos chamados de “lavagem de dinheiro” é trazer para o âmbito estadual algo que já é objeto de apuração e processamento pelo Juízo Federal da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR e pelo MPF, pelo que é inegável a conexão, com interesse probatório entre ambas as demandas, havendo vínculo dos delitos por sua estreita relação”.

ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, afirmou que o ex-presidente “não vai fugir da Justiça”. “Evidentemente, não é essa a motivação e isso é o que hoje mais o constrange a aceitar o convite. Aí ele prefere ficar com a sua história. A história dele foi construída na rua, enfrentando o governo militar e muitas dificuldades. Ele chegou a ser preso”, disse Wagner. Na semana passada, Luiz Inácio Lula da Silva teria dito a Jaques Wagner que entrar na equipe ministerial da presidente Dilma, neste momento, passaria a mensagem de confissão de culpa.

A presidente da República chegou a oferecer a pasta antes mesmo das manifestações que ocorreram em todo o País neste domingo (13). 

Denúncia do MP-SP

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado criminalmente pelo Ministério Público de São Paulo, na última quarta-feira (9), pelo promotor Cássio Conserino. A mulher do petista, Marisa Letícia, também foi envolvida no caso do tríplex 164-A, no Condomínio Solaris, no Guarujá.

A acusação tem base em longa investigação realizada pelos promotores Cássio Conserino e José Carlos Blat. O promotor diz ter indícios de que houve tentativa de esconder a identidade do verdadeiro dono do tríplex, o que pode caracterizar crime de lavagem de dinheiro.

Depoimento à PF

Em depoimento prestado à Polícia Federal, ex-presidente Lula se disse indignado com investigação, chamou triplex de Minha Casa, Minha Vida e prometeu concorrer à presidência em 2018.

Na sexta-feira, 4 de março de 2016, o petista foi conduzido coercitivamente ao aeroporto de Congonhas para prestar esclarecimentos. A transcrição da oitiva foi divulgada na íntegra pela Justiça Federal nesta segunda-feira (14). Lula chamou a investigação sobre o triplex no Guarujá de “sacanagem homérica”.

O ex-presidente ainda desabafou: “eu acho que eu estou participando do caso mais complicado da história jurídica do Brasil, porque tenho um apartamento que não é meu, eu não paguei, estou querendo receber o dinheiro que eu paguei, um procurador disse que é meu, a revista Veja diz que é meu, a Folha diz que é meu, a Polícia Federal inventa a história do triplex que foi uma sacanagem homérica. Como cidadão brasileiro, eu não posso me conformar com esse gesto de leviandade”.