Plenário da Alerj aprova a revogação de prisão de Picciani, Melo e Albertassi

  • Por Jovem Pan
  • 17/11/2017 17h10 - Atualizado em 17/11/2017 20h30
FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDOEm sessão no Plenário da Alerj, deputados alegam que os envolvidos na Cadeia Velha não podem ser presos, pois não foram pegos em flagrante

Na tarde desta sexta-feira (17), o Plenário da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) revogou a decisão do TRF-2, que, na quinta-feira (16), pediu a prisão preventiva dos deputados do PMDB, Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Foram 39 votos contra 18 e 1 abstenção. A maioria dos parlamentares entende que os peemedebistas não podem ser julgados por crimes que não configurem flagrante delito.

Picciani, Melo e Albertassi são investigados pela Operação Cadeia Velha por favorecimento a empresários do setor de transportes em troca de propinas. Os peemedebistas são acusados de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Antes da votação o clima foi de tensão na região central do Rio de Janeiro. Manifestantes entraram em confronto com a polícia, que respondeu com bombas de gás.

Deputados já estão em casa

Pouco mais de uma hora após a decisão oficial da Alerj, Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, foram libertados da cadeia pública José Frederico Marques, em Benfica, zona norte. Mas, conforme a legislação, a soltura poderia acontecer apenas mediante a assinatura do desembargador do TRF2, Abel Gomes, responsável pelo caso. Gomes informou que não recebeu nenhuma notificação.