Plenário rejeita média do PIB dos últimos cinco anos para reajuste do mínimo

  • Por Agência Câmara Notícias
  • 24/06/2015 20h24
Vista geral do Plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília. 03/12/2014 REUTERS/Ueslei MarcelinoCâmara dos Deputados

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, por 279 votos a 119, emenda do deputado Marco Tebaldi (PSDB-SC) à Medida Provisória 672/15, que previa, no reajuste do salário mínimo, a aplicação da média do Produto Interno Bruto (PIB) dos últimos cinco anos se o PIB de dois anos anteriores for menor que essa média.

Os deputados já aprovaram o texto-base da MP, que mantém as atuais regras de reajuste do salário mínimo para o período de 2016 a 2019. O reajuste é calculado pela soma da variação da inflação (INPC) do ano anterior e do PIB de dois anos anteriores.

Está em debate, no momento, emenda do deputado João Fernando Coutinho (PSB-PE) que fixa um reajuste real mínimo de 2% para o salário mínimo se a variação do PIB de dois anos antes for menor.