Prefeitura investiga segunda morte suspeita de síndrome nefroneural

A intoxicação que provoca insuficiência renal aguda e alterações neurológicas teria sido contraída após o consumo da cerveja Belorizontina, da Backer. Outras 17 pessoas seguem internadas

  • Por Jovem Pan
  • 14/01/2020 13h21
Reprodução / Backer Secretaria da Saúde do Estado de Minas Gerais recomenda que nenhuma cerveja da Backer seja consumida

A Secretaria de Saúde de Pompéu, em Minas Gerais, a cerca de 170 quilômetros de Belo Horizonte, informou nesta terça-feira (14) que uma mulher internada em um hospital da cidade com sintomas da síndrome neufroneural – que a Polícia Civil atribui ao consumo da cerveja pilsen Belorizontina, da Backer –, morreu no dia 28 dezembro.

A secretaria municipal trata o caso como mais uma ocorrência de intoxicação de consumidores da cerveja pela substância tóxica o dietilenoglicol, utilizada em sistemas de refrigeração devido a suas propriedades anticongelantes.

A substância já foi encontrada em três lotes da cerveja Belorizontina.

Em nota, a secretaria municipal afirma que a mulher, cujo nome não foi divulgado, esteve em Belo Horizonte entre os dias 15 e 21 de dezembro. Segundo parentes da vítima, ela teria consumido a cerveja Belorizontina, da Backer, durante este período.

Se confirmado que a morte está associada à ingestão da cerveja, este será o segundo óbito decorrente da intoxicação pela bebida. O Ministério da Agricultura já determinou a interdição da cervejaria e o recolhimento de todas os produtos feitos pela empresa.

Além disso, trata-se da segunda mulher a apresentar os sintomas da síndrome nefroneural – insuficiência renal aguda de evolução rápida, que leva a pessoa a ser internada em até 72 horas após o surgimento dos primeiros sintomas e alterações neurológicas centrais e periféricas que podem provocar paralisia facial, embaçamento ou perda da visão, alteração sensório, paralisia, entre outros sintomas.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais afirma que ainda não foi oficialmente notificada da ocorrência. Por isso, segue contabilizando apenas uma morte entre os 17 casos de internação já notificados.

A secretaria de saúde de Pompéu afirma que já notificou o caso ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs-MG).

*Com informações da Agência Brasil