Presidente do TRE sobre confusão em diplomação: ‘Não respeitaram ordens prévias’

  • Por Jovem Pan
  • 18/12/2018 14h43 - Atualizado em 18/12/2018 14h48
Jovem PanO presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRe-SP), Carlos Eduardo Cauduro Padin

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), Carlos Eduardo Cauduro Padin, afirmou que “as pessoas não respeitaram ordens prévias”, em referência à confusão que ocorreu na cerimônia de diplomação de eleitos em São Paulo. O empurra-empurra começou depois que Jesus dos Santos, integrante do mandato coletivo da deputado estadual eleita Monica Seixas (PSOL), subiu no palco na hora da diplomação para participar da foto e foi retirado por seguranças.

Segundo Seixas, havia um acordo prévio com o Tribunal Regional Eleitoral para que a bancada coletiva recebesse o diploma com os nove integrantes juntos no palco. Jesus dos Santos, no entanto, teria sido o único barrado por um dos seguranças e pelo deputado federal eleito, Alexandre Frota (PSL-SP).

O presidente do TRE, porém, afirmou que Santos agiu com “violência”, pois desrespeitou uma ordem que teria sido dada anteriormente. “Toda vez que se desrespeita uma ordem, se viola esta ordem, é uma violência”, disse.

Padin explicou, ainda, que os seguranças não agiram com mais “coercitiva” porque ficaram com “receio”. “A segurança fica com receio de usar qualquer atitude mais coercitiva e talvez, por isso, eles [os deputados estaduais do mandato coletivo] puderam desrespeitar aquilo que já havia sido combinado”, concluiu.

Vídeo da confusão

O deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi quem gravou a confusão durante a cerimônia. “Militantes do PSOL fazem confusão na diplomação dos deputados de São Paulo. Total baixo nível… Mais uma vez”, escreveu ele no Twitter.

Já o também deputado federal Alexandre Frota escreveu, na mesma rede social, que “ta pra nascer alguém do Psol que vai me calar, tentaram criar na festa mas tiveram que correr. Comigo não. [sic]”.