Procedimento cirúrgico em Marisa Letícia foi bem-sucedido, diz Okamotto

  • Por Estadão Conteúdo
  • 24/01/2017 21h13
Brasil, São Paulo, SP, 19/09/2011. Retrato da ex-primeira-dama Marisa Leticia Lula da Silva durante a inauguração da "Cidade da TV", em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. - Crédito:LEONARDO SOARES/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Código imagem:193101Marisa Letícia - AE

O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, informou nesta terça-feira, 24, que o procedimento cirúrgico ao qual a ex-primeira-dama Marisa Letícia foi submetida já foi encerrado e ocorreu tudo bem. “Agora é esperar a recuperação”, afirmou, após deixar o Hospital Sírio-Libanês, onde está internada a esposa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Marisa sofreu um AVC hemorrágico em sua casa em São Bernardo do Campo e foi internada em São Paulo para ser submetida a uma arteriografia cerebral, um procedimento que tenta estancar o sangramento do cérebro. Em breve o hospital deve divulgar um boletim com o quadro de Marisa.

Na opinião de Okamotto, o estresse emocional pelo qual tem passado a ex-primeira-dama, em razão das denúncias contra Lula e seus filhos, contribuiu para que ela tivesse o AVC. “Pesa para qualquer ser humano que passa pelo que ela está passando, ter os filhos e o marido perseguidos injustamente”, disse.

Marisa seguirá em tratamento intensivo por tempo indeterminado, informou o hospital Sírio-Libanês, onde ela está internada. O boletim médico do hospital, no entanto, não informa o estado de saúde da ex-primeira-dama.

Segundo o boletim, a esposa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma hemorragia cerebral após a ruptura causada por um aneurisma. Ela, então, foi imediatamente submetida a um atendimento de emergência, seguido de cirurgia endovascular (embolização) e oclusão (fechamento) do aneurisma. 

O hospital afirmou também que as equipes médias que acompanham são coordenadas pelos médicos Roberto Kalil Filho, Milberto Scaff, Marcos Stávale e José Guilherme Caldas. Kalil é médico da família de Lula.