PSL expulsa Douglas Garcia e Gil Diniz, envolvidos no inquérito das Fake News

Decisão foi tomada em reunião na noite desta quarta-feira

  • Por Jovem Pan
  • 15/07/2020 22h41 - Atualizado em 15/07/2020 22h42
Divulgação/AlespDeputados Douglas Garcia (foto) e Gil Diniz estão agora sem partido na Assembleia Legislativa de São Paulo

O PSL anunciou nesta quarta-feira que expulsou os deputados estaduais Douglas Garcia e Gil Diniz, conhecido como ‘Carteiro Reaça’. A decisão foi tomada em uma reunião do Conselho de Ética da Executiva nacional do partido em São Paulo, e motivada, segundo o partido, pelas manifestações dos parlamentares contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

Em nota, o partido afirmou que os deputados feriram o código de ética do estatuto do partido, que “veda atividades políticas contrárias ao regime democrático, caracterizadas pela conduta dos dois deputados em manifestações que atentam contra o STF e seus ministros”.

Tanto Garcia quanto Diniz já estavam suspensos desde o último dia 28, por causa das investigações do Supremo sobre o envolvimento no esquema de disseminação de notícias falsas. “Aos dois representados foi dado irrestrito direito de defesa, onde não negaram os fatos a eles imputados”, diz o documento.

Nas redes sociais, Douglas Garcia afirmou que expulsão foi “providência divina”. Em um vídeo, ele afirma que sofreu perseguição. “Jamais apoiaria atos antidemocráticos. O que acontece é uma perseguição política. Todo mundo sabe que eu sempre defendi a democracia, e sempre vou defender. Sou conservador, defendo pautas conservadoras, não mudei minha essência, e parece que isso não agradou determinados setores políticos”, afirmou.

Leia a nota do PSL na íntegra:

Em reunião do Conselho de Ética da executiva estadual do PSL em SP, foi deliberada a expulsão dos deputados estaduais Douglas Garcia e Gil Diniz, por práticas que afrontam o estatuto do partido, ao qual todos os filiados são submetidos, especialmente no que se refere ao seu artigo 7º do Código de Ética, que veda atividades políticas contrárias ao regime democrático, caracterizadas pela conduta dos dois deputados em manifestações que atentam contra o STF e seus ministros. Aos dois representados foi dado irrestrito direito de defesa, onde não negaram os fatos a eles imputados.

O PSL tem, em seus princípios históricos, a defesa da democracia e o fortalecimento das instituições como fundamentos inalienáveis, pelos quais todos que optem por se filiar ao partido tem ciência clara e ampla.

Deputado Federal Bozzella – Presidente do Diretório Estadual do PSL de SP