PT, PCdoB, Rede e Psol entregam documento ao STF pedindo afastamento cautelar de Cunha

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2015 17h51
Brasília - O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, preside sessão para votar MPs que trancam a pauta (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)Eduardo Cunha

Os líderes do PT, PCdoB, Rede e Psol na Câmara entregam nesta terça-feira (15) ao STF (Supremo Tribunal Federal) uma carta aberta pedindo o afastamento cautelar do presidente da Câmara, Eduardo CUnha (PMDB-RJ).

O documento contém cinco páginas e é assinado por 50 parlamentares dos quatro partidos. Ele acusa o parlamentar de prevaricação e enumera episódios em que, segundo eles, o cargo tenha sido exercido “para benefício privado, autoproteção em investigações e usufrutos inconstitucionais”.

Segundo a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), “trata-se de um pedido de socorro para que o Supremo determine o afastamento cautelar porque, na medida em que o inquérito é instaurado na Casa, ele [Cunha] estando na presidência vai interferir permanentemente no processo”.

No documento, os deputados citam como exemplo de uso de prerrogativa de presidente em benefício próprio a divulgação do acolhimento do pedido d eimpeachment contra Dilma, horas depois da bancada do PT decidir por votar contra ele no Conselho de Ética.

Os políticos constatam também a atuação do peemedebista para interferir no resultado da eleição da comissão especial que analisará o pedido de impeachment, bem como a prorrogação do prazo para sua instalação e abertura de votação secreta.

O pedido de afastamento cautelar traz ainda a atuação de aliados do presidente da Câmara após o STF negar o pedido de afastar Fausto PInato (PRB-SP), ex-relator de seu processo no Conselho de Ética.

*Com informações de Agência Estado