Quatro centros de pesquisa vão iniciar testes da CoronaVac dia 30 de julho

O anuncio foi feito pelo secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, em entrevista coletiva

  • Por Jovem Pan
  • 28/07/2020 13h03 - Atualizado em 28/07/2020 13h14
Reprodução/TwitterDesde a terça-feira passada (21) a vacina já é testada no Hospital das Clinicas de São Paulo

O governo do Estado de São Paulo anunciou nesta terça-feira (28) que mais quatro centros de pesquisa vão iniciar na próxima quinta-feira (30) os testes da CoronaVac, a potencial vacina contra a Covid-19 produzida em parceria de um laboratório chinês com a Instituto Butantan. O anuncio foi feito pelo secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, em entrevista coletiva. Desde a terça-feira passada (21) a vacina já é testada no Hospital das Clinicas de São Paulo. A primeira a receber a dose foi a médica Stefania Teixeira Porto, de 27 anos, que atua no HC-SP.

Os centros que irão começar a testar parte dos nove mil voluntários na próxima quinta-feira, são: o Instituto de Infectologia Emílio Ribas, a equipe de Medicina da Universidade Municipal de São Caetano do Sul, o Centro de Saúde Escola da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP e o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da UFMG. Com isso, serão cinco locais já em testagem da CoronaVac.

Na segunda-feira (27), o governador do Estado, João Doria, disse que, se tudo der certo, a vacina poderá estar disponível para a população brasileira a partir de janeiro de 2021. “Já no final do ano, não havendo intercorrências na terceira fase de testes, poderemos iniciar a produção da vacina em dezembro e imediatamente iniciar a vacinação de milhões de brasileiros.” No entanto, nem toda a população brasileira poderia ser vacinada em janeiro já que a produção ainda seria insuficiente para vacinar todo mundo. A expectativa é que inicialmente sejam vacinadas 60 milhões de pessoas no país.

Os outros sete centros de pesquisa devem iniciar a testagem na próxima semana. São eles: Centro de Pesquisas Clínicas do Instituto Central do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, Hospital das Clinica da Unicamp, Faculdade de Medicina de Rio Preto, o Núcleo de Medicina Tropical da UNB (Brasília), Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas – Fiocruz, Hospital São Lucas da PUC-RS e Hospital das Clínicas da UFPR.

Entenda

A CoronaVac, como foi batizada essa vacina, está na fase 3 de testes em humanos, que está sendo realizada também no Brasil. Ao todo, os testes com a CoronaVac serão realizados em nove mil voluntários em centros de pesquisas de seis estados brasileiros: São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná. A pesquisa clínica será coordenada pelo Instituto Butantan e o custo da testagem é de R$ 85 milhões, custeados pelo governo. Caso seja comprovado o sucesso da vacina, ela começará a ser produzida pelo Instituto Butantan.