Ricardo Ferraço acredita que afastamento de Dilma será concluído na própria quarta

  • Por Jovem Pan
  • 07/05/2016 17h58
senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES)

A semana será agitada em Brasília. Além da decisão do Senado sobre o processo de impeachment de Dilma, também será definido se o senador Delcídio do Amaral será afastado definitivamente. Para o senador do PSDB Ricardo Ferraço, que é o relator do processo do ex-líder do Governo do PT, é “absolutamente certo que Dilma e Delcídio serão afastados das funções públicas”.

Ferraço afirmou que o processo de Delcídio está bem encaminhado e foi conduzido da melhor forma possível desde o Conselho de Ética. O andamento será dado a partir de segunda na CCJ e, na terça, o plenário vai se pronunciar. O senador ressalta a coincidência: “Delcídio era líder do governo da Dilma no Senado. Na terça iremos decidir seu futuro e na quarta o de Dilma”.

“Vamos ter uma semana muito agitada, mas acho que de fundamental importância para nosso país virar essa página”, concluiu. O tucano reforçou as deficiências do governo de Dilma: “cometeram crimes de responsabilidade para dar de pau, violaram a constituições, atentaram contra leis orçamentárias, improbidade administrativa, mergulharam nosso país em uma confusão. O que estamos vendo é a máscara cair”.

Processo de impeachment

Na quarta-feira, acontecerá a deliberação de cada senador, por dez minutos, com os seus funcamentos para o voto. “Esperamos que na própria quarta seja concluído o processo de afastamento”, revelou Ferraço apesar de destacar que será um “longo dia”.

“Para abrir a sessão, é necessária maioria simples. Para deliberação, 41 dos 81 senadores. Estou confiante que vamos ter para além de 50 senadores”, disse. Ele ainda afirmou que a previsão é de que se inicie às 10h, mas não está confirmado o horário.

Próximo passo

Caso seja confirmado o afastamento de Dilma e um eventual governo Temer, Ricardo Ferraço espera que o partido tenha, sim, uma atuação forte. Entretanto, de modo que a ocupação de cargos não seja a prioridade.

“Se Temer considerar que existam quadros que o PSDB que possa ajudar, eu sou favorável, mas passa por um conjunto de valores e princípios que foi entrege por Aécio a Temer. Como por exemplo manter o desenvolvimento da Operação Lava Jato, que a PF continue autônoma”, disse.