Senador pede ao STF apreensão de passaporte de Abraham Weintraub

Abraham Weintraub anunciou sua saída do Ministério da Educação nesta quinta-feira (18). Ele deve assumir uma vaga no Banco Mundial, com sede em Washington

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2020 16h09 - Atualizado em 19/06/2020 16h25
Marcos Corrêa/PRAbraham Weintraub

Após o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub anunciar por meio do Twitter que deve deixar o Brasil em “poucos dias”, o senador Fabiano Contarato (Rede) protocolou junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de apreensão de seu passaporte.

A medida cautelar foi incluída no âmbito do inquérito do Supremo que apura a disseminação de fake news. “Peço que seja proibida a saída do ministro do país porque ele é investigado nesse inquérito”, alega o parlamentar.

Weintraub anunciou sua saída do MEC nesta quinta-feira (19) e afirmou que “não cabia discutir os motivos”. Ele disse ainda que deve assumir um cargo de diretor no Banco Mundial, com sede em Washington, nos Estados Unidos.

Polêmicas

Weintraub deixa a pasta após uma série de polêmicas envolvendo o Ministério da Educação e declarações dadas em redes sociais. No último domingo, ele participou de um ato de apoio ao governo em Brasília, não usou máscara e foi multado em R$ 2 mil pelo governo do Distrito Federal.

O agora ex-ministro é alvo do STF no inquérito das fake news. No vídeo da reunião de 22 de abril, ele fala em prisão de ministros da Corte e os xinga de “vagabundos”. Ele também é investigado por suposta prática de racismo ao ironizar o sotaque da China pelo Twitter. Após a repercussão, apagou a postagem. Durante depoimento à Polícia Federal, Weintraub ficou calado.