Sob forte esquema de segurança, Bolsonaro participa de solenidade no Congresso; assista

  • Por Jovem Pan
  • 06/11/2018 10h48 - Atualizado em 06/11/2018 10h49
Reprodução/TV CâmaraJair Bolsonaro voltou ao Congresso pela 1ª vez desde sua eleição

O presidente eleito Jair Bolsonaro voltou ao Congresso Nacional pela primeira vez desde sua eleição. Ele participa da sessão solene em comemoração aos 30 anos da Constituição Federal. Ele chegou acompanhado do general Augusto Heleno, seu futuro ministro da Defesa, e seguiu direto para a Presidência do Senado, onde foi recebido pelo presidente da Casa, Eunício Oliveira.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o presidente da República Michel Temer e o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha também participam do evento.

De acordo com José Maria Trindade, repórter da Jovem Pan em Brasília, Bolsonaro afirmou que demorou a ir para Brasília devido à limitação física. Ele se recupera de atentado sofrido em ato de campanha, no qual acabou levando facada.

Por causa do grande número de autoridades, a segurança na Câmara e no Senado foi reforçada e o acesso ao Salão Verde e ao plenário da Câmara está restrito. Trindade reforça que a presença da segurança nesse nível “nunca foi vista antes” no local.

As polícias legislativas da Câmara e do Senado fizeram uma varredura de segurança no início da manhã no local. Parlamentares constituintes, embaixadores e ministros também são aguardados para a cerimônia que ao todo tem 1,5 mil convidados.

Agenda

Depois do evento na Câmara dos Deputados, Bolsonaro almoçará com o atual ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna, na Esplanada dos Ministérios. Às 14h, o presidente eleito fará uma visita ao comandante da Marinha, almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, e às 16h encontrará com o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas.

Bolsonaro também deve ter uma agenda com representantes de Israel. Há notícias de que o presidente eleito tenha virado alvo de terroristas internacionais justamente devido a suas declarações sobre política internacional. Ele pretende mudar a embaixada brasileira de Israel de Jerusalém para Tel Aviv.

*Com informações da Agência Brasil.