Sob pressão, Twitter libera ferramenta para denunciar postagens por fake news no Brasil

Função está em fase de testagem e foi aplicada inicialmente em países como Estados Unidos, Coreia do Sul e Austrália

  • Por Jovem Pan
  • 17/01/2022 14h36
Twitter Domínio Público Rede social justificou ano eleitoral como motivo para testagem da função no Brasil

O Twitter Brasil anunciou nesta segunda-feira, 17, uma ferramenta de denúncias de postagens por fake news. A função está em fase de testes desde agosto de 2021 e, em sua atualização mais recente, foi liberada para Filipinas, Espanha e Brasil. Antes, ela estava disponível apenas para os Estados Unidos, Coreia do Sul e Austrália. Em comunicado, a rede social usou como justificativa o ano eleitoral para inclusão dos países. “O fato de 2022 ser ano de eleições no Brasil e nas Filipinas, assim como de meio de mandato nos Estados Unidos, contribuirá para a avaliação de como esta ferramenta de denúncias seria usada em períodos de grandes eventos cívicos.” A empresa ainda anunciou que, desde o lançamento da nova iniciativa, mais de 3 milhões de denúncias foram recebidas sobre o conteúdo de 1,95 milhões de publicações. 

Segundo o Twitter, de todas as queixas feitas, apenas 10% delas de fato violam as políticas da rede social. A empresa advertiu que é, por ora, possível que parte do material denunciado não chegue a ser alvo de consequências. “Enquanto seguimos com o piloto, podemos não tomar medidas em relação a todos os tweets denunciados e não teremos como responder a todas as denúncias que recebemos”. Neste mês, ações tomadas pela rede foram alvo de polêmicas. A discussão começou após Janja Silva, companheira do ex-presidente Lula, ter pedido de verificação no aplicativo negado. Usuários acusaram a rede de conivência com notícias falsas e compararam o caso da noiva do petista com perfis de apoiadores de Jair Bolsonaro, como o de Bárbara Destefani.