Sobrevivente da boate Kiss que seria testemunha morre aos 33 anos

Júri dos quatro réus está marcado para 1º de dezembro; Ministério Público deve chamar nova testemunha para depor no julgamento

  • Por Jovem Pan
  • 02/11/2021 11h03 - Atualizado em 02/11/2021 13h17
Reprodução/Facebook Mulher com óculos de sol posa para foto ao lado de flores Arquiteta, Fernanda Buriol foi uma das sobreviventes da tragédia da boate Kiss

Uma das mais de 630 sobreviventes da tragédia da boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande de Sul, a arquiteta Fernanda Buriol Londero morreu na última semana, aos 33 anos de idade. Segundo informações da Rádio Gaúcha, a causa da morte foi uma embolia pulmonar. Ela seria uma das testemunhas no júri sobre o caso previsto para 1º de dezembro. “Recebemos com profunda tristeza a morte da Fernanda, que era sobrevivente da tragédia. Nossas orações e solidariedade aos familiares, principalmente aos pais Ana e Antônio Londero”, diz uma publicação da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria da segunda-feira, 25. Agora, o Ministério Público (MP) deve chamar outro sobrevivente para depor no julgamento.

No dia 27 de janeiro de 2013, 242 pessoas morreram em um incêndio que atingiu a boate Kiss. A tragédia completará nove anos em janeiro de 2022. Os sócios da boate, Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, o vocalista e o produtor da banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão, serão julgados. Os quatro respondem por homicídio simples (consumado 242 vezes, em razão do número de óbitos) e por 636 tentativas de homicídios (número total de feridos).

A tragédia da boate Kiss ocorreu depois que um integrante da banda Gurizada Fandangueira acendeu um sinalizador no interior do local. A faísca do artefato incendiou a espuma que fazia o isolamento acústico da casa de show. A queima liberou um gás tóxico e letal, o cianeto, o que resultou na morte por sufocamento da maioria das vítimas. A Kiss não possuía saídas de emergências adequadas e os extintores de incêndio estavam vencidos.