Tiroteio deixa duas pessoas feridas durante apresentação de Diplo em bloco de Carnaval

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2020 19h35
ReproduçãoDJ precisou ser retirado às pressas

A apresentação do DJ Diplo no Bloco da Latinha Mix, na Zona Oeste de São Paulo, precisou ser interrompida nesta terça-feira (25) devido a um tiroteio. Duas pessoas ficaram feridas, um homem e uma mulher, que foram encaminhados ao Pronto-Socorro Saboya, na Zona Sul. Os dois foram socorridos pelos Bombeiros, segundo a Polícia Militar, mas não há informações sobre o estado de saúde das vítimas.

O caso, que ocorreu na rua Henrique Schaumann, perto do Cemitério São Paulo, foi registrado no 14º Distrito Policial (Pinheiros). Ainda não se sabe como teve início o tumulto e a polícia não prendeu o responsável pelos disparos, de acordo com a PM.

O Bloco da Latinha Mix, organizado pela Rádio Mix FM, estava sendo comandado por Dinho Ouro Preto e previa apresentações de Luisa Sonza e Ivo Meirelles, além do projeto de música eletrônica Major Lazer e do próprio Diplo.

No sábado de pré-carnaval (16), um policial civil reagiu a uma tentativa de assalto na avenida Luís Carlos Berrini, na zona sul de São Paulo, durante a o desfile de um bloco. Cinco pessoas foram baleadas e socorridas a hospitais localizados na região. Na semana passada, o Fórum Aberto de Blocos de SP, que representa 280 agremiações, manifestou “profunda preocupação” com a segurança. No texto, a entidade cita “inúmeros” casos de arrastão, furtos, roubos e violência no pré-carnaval.

Em resposta, a Prefeitura disse que aumentaria o número de drones de 4 para 10, enquanto a Polícia Militar disse estar utilizando “força máxima”, com um agente de segurança (incluindo Guarda Civil e demais polícias) para cada 149 foliões. Também alegou que seria “obrigação” dos blocos de carnaval contratar segurança privada, o que o Fórum refuta.

Estado teve 1.324 presos nos quatro dias de folia

Desde a madrugada da sexta-feira (21), até o início desta terça-feira (25), 1.324 pessoas foram detidas durante a Operação Carnaval Mais Seguro, conforme a Secretaria da Segurança Pública paulista. Segundo o governo, uma média de 22 mil policiais militares foram às ruas diariamente. O Estado também usou uma média de 50 drones por dia para monitorar a atuação de bandidos durante a folia, principalmente para identificar ladrões de celular.

* Com informações do Estadão Contéudo